Por: Tita Pretti | 23/02/2015

Você já ouviu histórias de crianças empreendedoras por aí? Esses jovens que,  antes mesmo de terminarem a escola, estão criando empresas (e às vezes ganhando muito dinheiro com elas!), são uma fonte de inspiração para adultos.

A americana Kylee Majkowski, 10 anos, é uma dessas crianças. Ela criou, aos sete anos, a Tomorrow’s Lemonade Stand, uma companhia que ensina lições de empreendedorismo e criatividade para crianças nos Estados Unidos.

20150221kyleedivulgacaolemonademakers

O Terra ouviu as dicas de Kylee para quem quer se tornar um empreendedor ainda na escola e buscou exemplos que podem servir como inspiração para os pequenos, e para os adultos também! Confira:

1. Seja criativo
Ser criativo é essencial para ser um jovem empreendedor. Kylee dá algumas dicas para desenvolver essa característica na escola: rabisque, desenhe e faça mais do que o necessário durante as aulas de artes. Seguindo esta lógica, que tal, em vez de jogar algum jogo, fazer o seu próprio? Laimonas Mileska é um rapaz lituano de 17 anos que seguiu este conselho da Kylee. Ele criou o Roblox, uma plataforma gratuita onde você cria o seu próprio jogo. São mais de quatro milhões de usuários ativos mensalmente.

2. Quebre barreiras 
Você pode desafiar o sistema e fazer diferente na hora de empreender. A americana Kia‘i Tallett, 11 anos, mora numa fazenda no Havaí e, em vez de comprar seus chapéus de tricô, aprendeu na escola, aos cinco anos, a tricotar e fazer crochê. A pequena havaiana rompeu os padrões e começou a tricotar suas mantas, chapéus e o que mais quisesse. Hoje, ela vende online no portal Etsy.

3. Siga os seus sonhos
O menino João Pedro Simões Lamim se tornou conhecido na internet por ir ao Sebrae/SP, em Mogi das Cruzes, para buscar dicas de empreendedorismo. A ideia dele é criar robôs que “possam salvar o mundo” e, para isso, recebeu uma consultoria dos profissionais do Sebrae. João Pedro está seguindo o seu sonho aos 7 anos de idade, com o auxílio dos pais.

4. Seja apaixonado pelo que faz
Para Kylee, o segredo é fazer como João Pedro de Miranda Caldas, baiano de 12 anos. A mãe se mudou para Paris, na França, para fazer um doutorado e ele foi junto. Lá, começou a fotografar com a câmera do namorado da mãe. Hoje, ele atende pelo nome artístico MiriM, registra a vida dele na Europa e vende as fotografias pelo seu próprio site, o caaldas.me.

5. Corra riscos

Matheus Bustamante Battiato tem 10 anos e queria ver o show de Paul McCartney no Brasil, no final de 2014. Para arrecadar o dinheiro dos ingressos, ele começou a fazer e vender pulseiras na internet. Com a ajuda da tia, organizou-se para elaborar as pulseiras e enviá-las para os compradores pelo correio. Se arriscou e se esforçou na busca de um objetivo maior. No dia do show, o Beatle usou a pulseira de Matheus durante todo o show na capital paulistana e ainda tirou foto com o menino. Para Kylee, uma ideia para aprender a correr riscos no colégio é tentar fazer uma atividade curricular nova, ou brincar com alguém ou algo diferente na hora do recreio.

6. Exercite a empatia 
É importante que você entenda os problemas de outras pessoas e seja empático. Kylee dá a dica: fale com aquele colega que parece triste, e pergunte o que está acontecendo. Se algum de seus amigos estiver enfrentando dificuldades, procure saber o que pode fazer para ajudar.

A americana Kiowa Kavovit, 6 anos, criou, junto com o pai, a solução para os problemas dela e de muitas outras crianças: um curativo customizado. O Boo Boo Goo é um curativo vendido em forma líquida e deve ser passado em cima do machucado, onde criará uma camada seca de curativo. A ideia da menina foi apresentada num reality show para empreendedores e recebeu propostas de diversos investidores. Ela e o pai, Andrew Kavovit, continuam trabalhando no Boo Boo Goo.

7. Viva a vida que você quer viver
Moziah Bridges é dono da Mo’s Bows, uma companhia que vende gravatas borboleta. Ele já deu muitas entrevistas, doa uma parte de seus lucros para a caridade e é um empreendedor nato – e ele tem apenas 12 anos. A empresa, Mo’s Bows, existe desde 2011 e vende, online, gravatas borboleta para todo o mundo. Moziah seguiu o conselho de Kylee: hoje, ele leva a companhia adiante e continua produzindo gravatas borboleta, com a esperança de expandir seus negócios.