Por: João Marcos | 6 anos atrás

Banda brasuca das mais reconhecidas lá fora, O Rappa é conhecio por suas letras de forte impacto social, abordando temas como desigualdade, descriminação e drogas em suas músicas. Seu ritmo não é definido nem mesmo pelos próprios integrantes da banda. Iniciou como um reggae//rock, mas incorporou a seu som ritmos como o samba, funk, hip-hop, rap e até mesmo MPB.

Em 1993, com a vinda do cantor regueiro Jamaicano Papa Winnie ao Brasil, foi montada uma banda às pressas para acompanhar o cantor em suas apresentações. Formada por Marcelo Lobato (teclado), Xandão (guitarra), Nelson Meirelles (baixo) e Marcelo Yuka (bateria) os músicos acompanharam o cantor pelo Brasil durante o ano. Logo, porém, criariam seu próprio som: estavam cheios de energia para movimentar muita gente e dizer algumas verdades sobre as injustiças sociais que existem no Brasil. Só faltava um vocalista, que pouco tempo depois seria escolhido: chegava Marcelo Falcão para completar a banda.

11 discos depois e com quase 20 anos de experiência na mala, o Rappa entrou de vez para o cenário nacional da música, é deles um dos cachês mais altos cobrados no Brasil e ainda se dão ao luxo de fazer no máximo 15 shows por mês, escolhendo os lugares no meio de diversas propostas que recebem diariamente para espalhar seu som por ae.

 

Depois de uma apresentação épica no 1º Lollapalooza feito no Brasil, o Rappa se tornou a primeira banda nacional convidada pra tocar na versão gringa do evento. Perry Farrell ficou admirado com o talento e o som da banda que os convocou para tocar em Chicago nesse ano. Também com uma apresentação dessa: