Por: João Marcos | 24/04/2012

Não tinha medo tal João de Santo Cristo era o que todos diziam quando ele se perdeu… (pronto acabei com toda a sua atenção para ler o post). Quem conhece foi inevitável não ler “cantando” a frase a cima, um dos maiores hinos do rock brasileiro, mesmo com mais de 9min de música a história de João de Santo Cristo foi decorada por milhares e milhares de brasileiros.

Legião Urbana é uma das maiores bandas do rock nacional, natural de Brasília, o grupo esteve ativo entre 1982 e 1996. Ao todo, lançaram dezesseis álbuns, somando mais de 20 milhões de discos vendidos. Ainda hoje, é o terceiro grupo musical da gravadora EMI que mais vende discos de catálogo em todo o mundo, com uma média de 250 mil cópias por ano.

Esse curto documentário feito pelo Fantástico, vai te mostrar a real importância que tiveram na nossa música, e principalmente quem foi Renato Russo:

 

A banda foi formada em agosto de 1982 poucos meses após uma discussão de Renato Russo com sua antiga banda, o  Aborto Elétrico, devido a uma briga com o integrante Fê Lemos (bateria) na música “Veraneio Vascaína” (na ocasião, Renato havia errado a letra e levou uma baquetada em pleno show). Com o fim da banda, Fê Lemos e seu irmão, Flavio Lemos (contrabaixo), reúnem-se com Dinho Ouro Preto e formam o Capital Inicial.

Então em março de 1983, Dado Villa-Lobos na guitarra, Marcelo Bonfá na bateria e Renato Russo no vocal formam a Legião Urbana. Mal sabiam eles de até onde iriam chegar. A banda é uma das recordistas de vendas de discos no Brasil, incluindo premiações da ABPD com dois Discos de Diamante pelos álbuns Que País É Este de 1987, e Acústico MTV de 1999. Os caras fazem parte do chamado quarteto sagrado do rock brasileiro, juntamente com o Barão Vermelho, Titãs e Paralamas do Sucesso.

O último concerto da Legião Urbana aconteceu em 14 de janeiro de 1995, na casa de apresentações “Reggae Night” em Santos, São Paulo. No mesmo ano, todos os discos de estúdio da banda até 1993 foram remasterizados no lendário estúdio britânico Abbey Road Studios, em Londres (famoso por terem gravados vários discos dos Beatles) e lançados em uma lata, intitulada “Por Enquanto 1984-1995”. A lata também incluía um pequeno livro, com um texto escrito pelo antropólogo Hermano Vianna, irmão do músico Herbert Vianna.

A Tempestade, lançado em 20 de setembro de 1996, foi o último álbum da banda com o Renato Russo vivo. Além disso, o álbum possui músicas densas, as letras em geral abordam temas como solidão, passado, amor, depressão, homossexualidade, AIDS, intolerância e injustiças. Sendo um disco “melodramático” e de alma triste.

Algumas canções do disco sugerem uma despedida antecipada, como diz o trecho “e quando eu for embora, não, não chore por mim”, da canção “Música Ambiente”. As fotos do encarte foram tiradas próximas à época do lançamento, exceto a de Renato, que foi aproveitada da sessão de fotos do seu álbum solo Equilíbrio Distante de 1995, já que o cantor um pouco debilitado, se recusou a fotografar para o disco. O fim do grupo foi marcado pelo falecimento de seu líder e vocalista, em 11 de outubro de 1996.

A Legião Urbana continua sendo uma das bandas nacionais mais populares, emplacando diversos hits que são cantados por multidões até os dias de hoje. Tempo Perdido, Eduardo e Mônica, Geração Coca-Cola, Ainda é Cedo, são tantas que poderíamos ficar pela tarde escrevendo e relembrando apenas o nome delas. A emblemática canção Faroeste Caboclo, que conta a vida de um garoto pobre e muito esperto, o que coincide com a história de muitos brasileiros que pela falta de oportunidade ou pela oportunidade errada que lhe é oferecida acaba por estragar a sua vida, vai virar filme com data de lançamento previsa para o primeiro semestre de 2013.

Aqui ficam as lamentações do tempo em que o rock nacional era feito dessa forma, sem medo, repressão ou modinhas: