Por: João Marcos | 21/06/2013

Oficialmente, a Fifa informa que até agora não se falou da hipótese de suspender a Copa das Confederações. Extra-oficialmente, no entanto, não são poucas as fumaças de que a ideia está posta.

E onde há fumaça há fogo e fogo, infelizmente, é o que não tem faltado pelas ruas e avenidas do Brasil. Veículos da Fifa foram apedrejados em Salvador e o hotel em que estão funcionários da entidade correu risco de ser invadido, assim como no Rio de Janeiro. Joseph Blatter, que ficaria até o fim da Copa no Brasil, voou para Turquia e desmarcou o almoço que teria ontem com o governador de Pernambuco e com o prefeito de Recife.

Base jurídica, segundo a Lei Geral da Copa, a Fifa tem para suspender a Copa e exigir ressarcimento do governo brasileiro – imagine você então, que o prejuízo com esses eventos ainda pode ser maior para o país – que recebeu sinais da fumaça e está preocupado.

Não precisa nem ter olhos para ver que motivos há, de sobra, para preocupação. E sempre é bom lembrar: a Fifa não pediu para o Brasil receber a Copa. Foi o Brasil que se ofereceu para receber a festa da Fifa.

E foram governadores de todos os partidos, do PT, do PSDB, do PMDB, do PSB que concordaram em erguer as faraônicas arenas que encantam os olhos e irritam as prioridades nacionais.

Via UOL