Por: Gabriela Bubniak | 29/04/2016

Se você faz parte dos grupos prioritários para a imunização contra a Gripe H1N1, fique atento! Neste sábado (30), acontece o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe.

Todos os postos de saúde de Jaraguá do Sul com sala de vacina estarão abertos das 8 às 17 horas para imunizar gestantes, mães recentes, crianças de seis meses a menores de cinco anos, pessoas com 60 anos ou mais, profissionais de saúde, doentes crônicos, presos e funcionários do sistema prisional.

Os únicos postos que não possuem sala de vacina são os dos bairros Vieira, Tifa Martins/Ana Paula, Amizade/Czerniewicz e Três Rios do Norte.

É importante lembrar que os doentes crônicos precisam levar, além da identidade e carteira de saúde, um encaminhamento médico por escrito, especificando a doença através de CID (Classificação Internacional de Doenças). Só serão vacinados os doentes crônicos com o encaminhamento médico! Com exceção daqueles que são acompanhados por programas das unidades de saúde e já tem nos registros a comprovação de doença.

São consideradas doenças crônicas:
– Doença respiratória crônica (paciente que usa medicação contínua. A rinite não se encaixa nessa classificação);
– Doença cardíaca crônica;
– Renal crônica;
– Hepática crônica;
– Neurológica crônica;
– Diabetes;
– Imunossupressão (HIV, lupus, artrite reumatoide, entre outras);
– Trissomias;
– Obesidade mórbida.

Ainda tem dúvidas sobre a vacina?

O Ministério da Saúde esclareceu algumas. Dá uma conferida:

Quais são os vírus que a vacina protege?
A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no inverno passado que são: Influenza A (H1N1); Influenza A (H3N2) e Influenza B.

Há alguma contraindicação da vacina?
A vacina só não é recomendada para quem tem alergia à proteína do ovo – usada na sua fabricação.

A vacina contra a gripe causa algum efeito colateral?
Não. A vacina usada na campanha contra a gripe é segura e bem tolerada. Em poucos casos podem ocorrer manifestações de dor no local da injeção ou endurecimento. Isso pode ser associado a erro técnico de aplicação. Além disso, as pessoas que não tiveram contato anterior com os antígenos – substâncias que provocam a formação de anticorpos específicos – podem apresentar mal-estar, mialgia ou febre. Todas estas ocorrências tendem a desaparecer em 48 horas.

Por que nem todo mundo recebe vacina gratuitamente? Quais os critérios de distribuição?
A vacina de influenza tem por objetivo evitar os casos graves e os óbitos, e não eliminar a transmissão do vírus. Por isso, o Brasil, assim como todos os países que usam essa vacina, segue a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de vacinar os grupos com maior vulnerabilidade para as complicações e os óbitos. Na sua grande maioria, os casos de gripe são casos leves e que se resolvem espontaneamente sem sequelas ou complicações.

Quanto tempo leva para a vacina fazer efeito?
Em adultos saudáveis, a detecção de anticorpos protetores se dá entre 2 a 3 semanas após a vacinação, e apresenta, geralmente, duração de 6 a 12 meses. O pico máximo de anticorpos ocorre após 4 a 6 semanas após a vacinação. A imunização dura de 6 a 12 meses.

Quais as medidas de proteção para a população não vacinada?
Para se prevenir, as pessoas devem ser orientadas a tomar alguns cuidados de higiene como: lavar bem, e com frequência, as mãos com água e sabão; evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies; não compartilhar objetos de uso pessoal e, ainda, cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar.

Fontes: PMJS e Ministério da Saúde
Foto: Divulgação/PMJS