Por: Gabriela Bubniak | 1 ano atrás

Muitos brasileiros com ascendência italiana esperam anos na fila para conseguir a tão disputada cidadania. Tramitada no Brasil, a espera pode ser de até 10 anos desde a entrega da documentação até a obtenção do documento. Porém, uma novidade pode fazer com que esse processo se torne mais rápido a partir de agosto.

Para entender melhor o que aconteceu, é preciso lembrar que o Brasil assinou a Apostila da Convenção de Haia, em 1961, ano em que o tratado foi criado. Todos os países que aderissem ao acordo teriam seus documentos reconhecidos automaticamente.

Apesar disso, o processo havia ficado engavetado e só foi aprovado pelo Senado no ano passado. As mudanças, publicadas no Diário Oficial da União em fevereiro, começarão a valer no dia 14 de agosto deste ano. A partir de sua vigência, o novo processo saltará toda a parte de validação de documentos civis, como certidão de nascimento, casamento, histórico escolar, legalização de empresas e outros, o que facilitará em 80% a burocracia de qualquer processo internacional entre Brasil e demais países.

Hoje, todos os documentos necessários para obtenção da cidadania italiana e dos outros 100 países que fazem parte do tratado precisam ser validados e legalizados em representações diplomáticas estrangeiras. Assim que a medida começar a valer, isso não será mais necessário, pois o Brasil poderá emitir uma apostila única que comprova a autenticidade dos documentos em qualquer um dos países signatários.

Na prática, isso deverá agilizar o processo de quem está em busca da dupla cidadania ou pretende estudar nos países que fazem parte do tratado. 😀

Fonte: Nômades Digitais