Por: Deivis Chiodini | 4 anos atrás

Mais um post da série que apresenta os jogadores que pintarão na cidade para o Jogo das Estrelas, dia 25 de abril, no João Marcatto. O evento faz parte das festividades do aniversário do Juventus.

Edilson da Silva Ferreira, o popular Edilson Capetinha. Nascido em Salvador, profissionalizou-se no pequeno Tanabi, depois despontou no Guarani. Sendo contratado pela Parmalat para reforçar o Palmeiras em 1993, logo se estabeleceu como camisa 10, onde foi campeão brasileiro e bi paulista, e produziu pinturas como essa:

Após passagens pelo Benfica e pelo Japão, o Capetinha decidiu voltar ao Brasil, assinando com o Corinthians e ajudando o time a se salvar do rebaixamento em 1997. Em 1998. já com Wanderley Luxemburgo como técnico, ele virou atacante em definitivo, e foi o melhor jogador do Brasileirão, conquistado pelo Timão naquele ano. Em 1999, o Corinthians havia sido eliminado da Libertadores durante a semana pelo Palmeiras, e no domingo se enfrentaram pela final do Paulistão, sob muita provocação – principalmente de Paulo Nunes. O jogo estava 2 a 2 e o título do Corinthians consolidado, quando Edilson resolveu se vingar e fez as famosas embaixadinhas, que acabaram em pancadaria generalizada:

O Corinthians acabou sendo campeão brasileiro novamente naquele ano e disputou o Mundial em 2000.

Quando o Timão enfrentaria o Real Madrid, o zagueiro Karembeu foi perguntado sobre Edilson. Respondendo que não o conhecia, acabou sabendo da estrela depois pela pior maneira: em campo.

O Corinthians se sagraria campeão mundial, mas no meio do ano Edílson se transferiria para o Flamengo, onde marcou dois gols na épica final do Cariocão que Petkovic decidiria para o Flamengo. Em 2002, já pelo Cruzeiro, foi convocado e se tornou campeão mundial pela Seleção Brasileira, inclusive jogando a semifinal no lugar do suspenso Ronaldinho Gaúcho. Depois disso teve nova passagem por Flamengo, Vitória, Vasco e alguns outros times, mas já sem o mesmo brilho. O talento estava lá, e ainda proporcionava lances como esse, em 2005 pelo São Caetano em cima de Javier Mascherano:

Edílson sempre foi conhecido pela habilidade em tirar os adversários do sério com sua técnica e pelas constantes provocações, além de temperamento forte e brigas com os companheiros, especialmente Rincón e Marcelinho Carioca. Se você quiser ouvir boas histórias desse baiano bom de bola, abaixo sua participação no “Bola da Vez” da ESPN faz valer a pena:

Vem no Jogo das Estrelas?
Os ingressos já estão disponíveis e você pode adquiri-los clicando aqui ou então nas Lojas Multisom (Shopping e Calçadão) e Brasão Supermercados. Os valores são:

Descoberta: R$13
Coberta: R$23
Cadeira: R$33

Vale lembrar que quem optar pela compra dos ingressos online deverá levar 1kg de alimento não perecível no dia do jogo para efetuar a troca. Já nos pontos físicos, o alimento deve ser entregue na hora.


Conhecendo as Estrelas: vejam o perfil de Amaral.