Por: Gabrielle Figueiredo | 3 anos atrás

Além da disputa entre Jaraguá Futsal (Pericó/CSM/Real Vidros/Kaiapo’s) e Joinville, que terminou em zero a zero na noite de ontem, dia 5, na Arena, os torcedores também puderam presenciar outros dois momentos em quadra: a apresentação do mascote da equipe e a homenagem ao ex-capitão Chico.

O mascote

A raposa, que representa a Torcida Organizada Independente há quase dez anos, ganhou corpo e é o novo mascote do time. O mascote esteve ontem pela primeira vez dentro de quadra para animar o torcedor.

A aquisição do mascote foi uma iniciativa da diretoria da Independente, de acordo com o presidente da Organizada, Clebison Fernandes. “Era um sonho que tínhamos e decidimos lutar para torná-lo realidade”, disse.

Foto: Henrique Porto/Sporto

Foto: Henrique Porto/Sporto

Ele conta que este sonho não teria sido realizado sem a ajuda da diretoria da ADJ (Associação Desportiva Jaraguá), da qual o presidente Gerson Postai sempre se mostrou muito acessível e disposto a ajudar. O mascote foi confeccionado em São Paulo e custou R$ 3,3 mil, pagos com uma ações realizadas pela Torcida, como rifa.

O “Raposão” como passa a ser chamado tem o objetivo de empolgar os torcedores e estar presente nos jogos para incentivar o time, também como representante da torcida.

Mas se o torcedor acha que as comemorações de novas conquistas param por aí, Fernandes garante que não, afinal, em 2016 a Torcida Organizada Independente completará dez anos de existência. “Não tenho como dizer o tamanho da minha felicidade, como presidente, em apresentar esse mascote ao torcedor. Garanto que todos os membros da diretoria se sentem realizados”, expõe.

Ele destaca que além do auxílio da ADJ, toda a diretoria teve sua contribuição correndo atrás do objetivo: o vice-presidente Giovani Leoni, 1º tesoureiro André Neckel, 2º tesoureiro Itacir Knechtel e o secretário Jonathan Pereira.

Ex-capitão Chico é homenageado

Foto: Henrique Porto/Sporto

Foto: Henrique Porto/Sporto

O intervalo foi de fortes emoções para o torcedor jaraguaense. O ex-atleta Chico #15, Francisco Alberto Gonçalves de Paula, e ex-capitão da eterna equipe da Malwee/Jaraguá, foi homenageado com Arena cheia e teve os pés eternizados na calçada da fama do futsal de Jaraguá do Sul.

Como primeiro capitão jaraguaense a ter levantado a taça de um título nacional, (em Brusque, contra o Atlântico em 2005), ele se sente orgulhoso e muito feliz em ter feito parte do time. “Lembro de todos momentos na equipe, e fico muito feliz em poder eternizar ali, na calçada, o que eu pude contribuir para o esporte da cidade”, diz Chico emocionado.

Foto: Henrique Porto/Sporto

Foto: Henrique Porto/Sporto

No ano passado, o craque Falcão e o goleiro Tiago foram os primeiros a deixar a sua marca, ambos como contribuíram para o futsal jaraguaense: pés de Falcão e mãos de Tiago.

O jogo

Foto: Henrique Porto/Sporto

Foto: Henrique Porto/Sporto

O clássico catarinense terminou em em zero a zero, com a presença de mais de 4,5 mil torcedores. Com o resultado o time se mantém na segunda colocação, com 19 pontos em onze partidas realizadas.

Ao todo foram cinco vitórias, quatro empates e duas derrotas. A equipe empata com o Joinville em número de pontos, e fica atrás apenas do Orlândia, líder do grupo A, com 21 pontos.

Equilíbrio entre as duas equipes é o que resume o primeiro tempo da partida. Aos sete minutos, Keko mandou uma bomba na frente do gol adversário, mas o goleiro Dudu defendeu. No rebote Vitor Hugo esperava a bola, e mandou raspando no travessão. As grandes defesas de Baranha também fizeram o torcedor vibrar no primeiro tempo.

O segundo tempo também se manteve equilibrado. Aos 15 minutos OitoMeia ganhou posse de bola e mandou raspando na trave esquerda do goleiro Dudu. Faltando menos de dois minutos para o fim da partida, o técnico Vander Iacovino apostou no goleiro-linha, com Danilo Baron, mas o placar continuou no zero a zero. Fim de Papo!