Por: Ariston Sal Junior | 4 anos atrás

Captura de Tela 2014-05-29 às 11.30.00

O que é que tem cara de frango, cheiro de frango, textura de frango, gosto de frango, mas nunca deu um pio na vida? É o Beyond Meat, um frango que não é frango.

Esqueça o tofu, seitan ou as “carnes” à base de soja.

Já faz um tempinho que venho lendo na internet sobre um produto curioso, um “substituto” para a carne de frango chamado Beyond Meat , feito inteiramente a partir de matéria prima vegetal e tão similar à “coisa real” que é capaz de enganar até os comensais mais atentos.

Captura de Tela 2014-05-29 às 11.31.07

 

Segundo a fabricante, a idéia é encontrar uma forma mais sustentável de atender à demanda mundial por carne, que cresce muito mais rapidamente do que nossa capacidade de produção. Entre os que apostam na idéia está Bill Gates, fundador da Microsoft, que chamou a atenção para o produto em um post em seu blog pessoal.

Aproveitando uma viagem aos EUA dei um pulo a um supermercado da rede Whole Foods, especializada em produtos orgânicos, para conhecer a novidade, que vem em tiras, congelada e pronta para comer.

As sugestões de preparo incluem 2 a 3 minutos numa frigideira em fogo alto ou no microondas por 1 minuto. Na falta de ambos os utensílios em um quarto de hotel, improvisei um “banho maria” por alguns minutos em uma pia cheia de água bem quente, o que acabou dando certo. A embalagem alerta que Beyond Meat não deve ser “preparado como frango”, apenas aquecido. Talvez o calor prolongado afete a textura.

beyond-meat-05-dest

 

Segundo a embalagem os ingredientes incluem proteína isolada de soja, proteína isolada de ervilha, amaranto, sabor de frango (sem frango, claro), óleo de canola e fibras de soja e cenoura. Mas, segundo minha boca, os ingredientes incluem: frango

Ao morder cada tira, a consistência é a mesma do frango.

beyond-meat-03-dest

 

Se você puxar um pedaço, ele desfia da mesma forma. Comprei o sabor Frango Grelhado, e algumas tiras tinham até a “marca” da grelha. Se alguém me servisse Beyond Meat sem dizer o que é, por si só ou como parte de uma salada ou sanduíche, eu juraria que se tratava de frango. O único ponto especialmente digno de nota é o uso generoso de pimenta no tempero, talvez uma tentativa de dar um pouco mais de “personalidade” ao prato.

Além da versão grelhada, a Beyond Meat também produz seu “frango” nos sabores Lightly Seasoned (levemente temperado) e Southwest Style (com tempero ao estilo do sudoeste americano), e cada bandeja de 340 gramas sai pelo valor médio de US$ 4,79. Um outro produto da empresa é o Beef Crumble, basicamente carne “bovina” moída apimentada, para uso em chilis, por exemplo.

beyond-meat-06-dest

 

 

Nagano comenta: Tudo bem que esse negócio parece frango e aparentemente entrega o que promete. Mas ao ler esse post a primeira coisa que veio a cabeça foi o filme  No mundo de 2020 de 1973 onde o personagem Robert Throrn (Charlton Heston) descobre a verdade sobre uma comida industrializada distribuída para pobres e desempregados chamada “Soylent Green”, que a fabricante dizia ser produzida a partir de algas marinhas (ou mais exatamente Hi Energy Plankton) mas que, na realidade, era feito de outra matéria prima bem mais barata e fácil de ser encontrada em grandes quantidades mesmo na terra seca:

“Soylent Green is people!!!”

A propósito, faltam apenas seis anos para os anos 2020 (brrr!)

[youtube_sc url=”https://www.youtube.com/watch?v=9IKVj4l5GU4″ autohide=”0″]

 

Via ZTop