Por: Gabrielle Figueiredo | 24/09/2015

Artigo publicado originalmente em 24 de setembro de 2015

Com a chegada da primavera, lembramos que Jaraguá do Sul possui, além de prédios históricos, árvores que também fazem parte do patrimônio tombado da cidade, ou seja, elas são imunes de corte.

Essas árvores estão espalhadas pelo município e estão protegidas por decreto assinado em 1993 e 1996 pelo ex-prefeito Durval Vasel.

decreto 2

decreto 1

Inicialmente, nove árvores faziam parte desse patrimônio, mas o eucalipto da Pres. Epitácio Pessoa foi atingido por um raio, e o ipê roxo da rua Henrique Piazera também não existe mais.

Apesar de não existir critérios para declarar uma árvore como patrimônio na cidade, estas foram escolhidas por suas condições de beleza e raridade.

Conheça as árvores:

A icônica Flanboyant da praça Ângelo Piazera na década de 90. Atualmente, está encerrando seu ciclo de vida. Foto via Jaraguá do Sul Ontem e Hoje.

Foto via Jaraguá do Sul Ontem e Hoje.

A icônica Flanboyant da praça Ângelo Piazera é uma delas. Acima, retratada em foto feita na década de 90. Atualmente ela está com pouco vigor, pois está encerrando seu ciclo de vida (pois é… árvores morrem de velhas também).

Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS

Foto: Maykon Lammerhirt / Agencia RBS

—–

estopeiro02

O estopeiro na Bernardo Dornbush,  próximo à Weg. Espécie raríssima nas matas, é abrigo de animais durante a noite.

—–

figueira

Seringueira, na rua Adélia Fischer (no Hotel Etalan). Estima-se que esse exemplar tenha mais de 50 anos.

—–

paubrasil

Pau Brasil na praça Paul Harris. O fato da árvore ser jovem explica-se por sua antecessora ter sido destruída por uma ventania. Replantanda, continuou protegida.

—–

arvore

Figueira na Bernardo Dornbush (próxima à Rede Feminina). Ela está em um terreno particular, do qual o dono também auxilia na preservação.

—–

Foto: Ricardo Daniel Treis

Foto: Ricardo Daniel Treis

 

Pau Ferro na praça França Vosgerau (entre Estação Ferroviária e o Mercado Público). Espécie nativa, também faz parte do patrimônio da cidade.

—–

Foto: Maykon Lammerhirt/Agencia RBS

Foto: Maykon Lammerhirt/Agencia RBS

Tajuba na Bernardo Dornbusch (na Marisol) é a mais rara entre as espécies tombadas.

—-

Pra fechar, fica o recado:

[youtube_sc url=”https://youtu.be/uSaf28eS7d4″ width=”750″ autohide=”1″]

—–

Fontes: AN Jaraguá, O Correio do Povo e Fujama.