Por: João Marcos | 6 anos atrás

Eu não vou escrever Carpe Diem nesse post, juro! Já dizia Mario Quintana:

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!

Não importa a cor, crença, classe social ou renda, se tem uma coisa que é comum a todas as pessoas em todos os cantos do mundo -além da morte- são as 24h que temos disponíveis por dia, ninguém ganha ou compra minutos a mais.

A forma com que você distribui seu tempo durante essas 24h que tem por direito, repito, por direito! É que lhe darão a sensação de estar fazendo algo bom ou não. Vamos por partes, estudos comprovam que você tem que ter pelo menos 8h de sono diárias para ter uma vida tranquila (algo que para muitos é quase impossível), ou seja 1 terço dessas suas 24h caem por terra. Para a maioria das pessoas assalariadas, o mínimo de 8h diárias de trabalho para ter aquela graninha no fim do mês te esperando também são necessárias. Então 2 terços do seu dia são “impostos pelo sistema” para que você perca de certa forma. Pra quem estuda, faz faculdade ou coisa assim, 3h ~ 3h30 ou até mais são ocupadas, apenas na instituição – não levando em conta as horas usadas para estudar fora disso.

Então 8+8+3:30= 19h30 diárias são subtraídas de seus dias com 24h. Sobram 4h30 para que você realmente faça o que quer! Isso no mundo perfeito, onde não acontecessem atrasos, o trânsito não existe, você não almoce e muito menos tenha provas e  finais de semestre.

Não estou aqui para ensinar ninguém a usar seu tempo, é só uma forma de abrir seus olhos para focar em aproveitar esses tempos impostos pelo sistema fazendo coisas que – por mais que sejam obrigações – façam com que você sinta-se bem, trabalhar com o que gosta, estudar o que você quer e não o que o mercado precisa (ou nem estudar), e dormir – ah dormir essas 8 horinhas marotas é bom diz ae.

Os dias estão cada vez mais curtos, e as noites também. Mais curtos pela impressão de esgotamento que estamos vivendo, pela frequência alucinada que nossas vidas correm, pois repito, você tem direito a 24h por dia! E esse é um direito que ninguém pode te tirar. Use-as com consciência e pare de reclamar da segunda-feira no Facebook!

Pra quem ainda não está satisfeito e leu esse texto até agora, aqui vai um vídeo válido, com os “Segredos do tempo” narrados pelo psicólogo Philip Zimbardo:

[youtube_sc url=”http://youtu.be/Jlril6qGA4g” width=”640″ autohide=”1″]