Por: | 8 anos atrás

Sim, as pessoas adoram texto em papel e não há nada errado com isso. (errado é achar que a consequência disso é odiar texto digital) Pegar o livro, folhear, sentir a textura, colocar na estante… Nossos netos provavelmente vão rir da nossa cara e livros em papel ocuparão o tipo de mercado que os discos de vinil já tem hoje. Daí até o papel — como um todo, em livros ou não — morrer ainda teremos muuuuuuitas gerações.

Twitteratura Brasileira

A Suzano Papel e Celulose, com criação da Santa Clara (e do nosso very own Rodrigo Zannin) lançou a Coleção Clássicos da Twitteratura Brasileira, para estimular a leitura e brincar com essa birra de que Twitter não é literatura coisa nenhuma. Twittar que você almoçou pão com ovo pode não ser literatura, mas um apanhado das coisas twittadas por@xicosa, @amatos30, @alelex88, @silviolach, @tati_bernardi, @felipeneto, @HugoGloss@CARPINEJAR, 
@tiodino, @LOBO_DA_CORAGEM, @bomdiaporque, @LeoJaime,@Flavio_Gikovate, @pittyleone e o muso @eikebatista — autores selecionados para a coleção — são sempre uma boa leitura.

O livro já está nas melhores casas do ramo e a renda será toda revertida para o Instituto Ecofuturo, ONG de educação ambiental fundada pela Susano.

No unwrapping do livro dá para ver um pouco de como os livros são organizados por dentro. (não é só gadget que tem vídeo de unboxing não!)

Via Brainstorm.