Por: Anderson Kreutzfeldt | 05/02/2014

galaxy-universe

Viram essa? Um scientist formado em Harvard divulgou sua teoria de que nós podemos ter sido a última forma de vida a aparecer no universo. Particularmente, acredito que o ser humano se tornou um tanto quanto babaca presunçoso em acreditar que pode encontrar todas as respostas para a vida e para o universo. Vale a pena sempre lembrar que algumas coisas estão além da nossa compreensão.

Ainda assim, a curiosidade faz parte da natureza humana e Loeb (o cientista que desenvolveu o argumento) parece ter pensado muito a respeito.

Veja a matéria do jornalista Dener Gomes:

Cada dia que se passa nossa visão que a Terra é o centro do Universo perde mais força. Agora foi a vez do astrofísico da Universidade de Havard, Abraham Loeb, afirmar que os seres humanos podem ter sido a última espécie a aparecer.

Segundo o cientista, os primeiro germes a aparecerem datam de apenas 15 milhões de anos antes do Big Bang e se depositaram em planetas que se formavam e tinham uma temperatura parecida com uma tarde de verão na Terra.

Loeb também questiona a afirmação que os primeiro planetas teriam sido formados apenas por hidrogênio e hélio. Ele afirma que existiam metais pesados que foram expelidos em explosões de grandes estrelas.

Com isso, qualquer planeta poderia conter água em sua formação, o que contraria a teoria das chamadas Goldilocks Zones, áreas que teriam a distância correta para não ficar nem muito quentes, nem muito frias e que auxiliaria a presença de vida.