Por: Anderson Kreutzfeldt | 24/07/2014

Rogerio-Minotouro

Mais um belo card montado pelo UFC promete agitar o sábado. Lutas bem-casadas e um possível title shot dos meio médios ao vencedor da luta principal tornam o evento imperdível.

O card preliminar esta recheado de brasileiros. Tem o ex campeão do Shotoo Hernani Perpétuo, e as estreias de Juliana Lima, Tiago Trator e da fera da arte suave, o campeão mundial Gilbert “Durinho” Burns. Vamos a análise do card principal:

Josh Thomson x Bobby Green (categoria dos leves): Após ser garfado na sua última luta contra Bendo, Josh Thomson chegou a cogitar se aposentar, mas mudou de ideia e fará um combate que promete ser movimentado contra Bobby Green. A combinação de boa envergadura, com wrestling de bom nível e bons ataques de pé vem dando bons resultados, como comprova sua sequência de 7 vitórias. Wrestler de origem, Thomson combina bem as quedas com um kickboxing de qualidade e grande poder de nocaute. Experiente, Thomson já foi campeão do Strikeforce e enfrentou os maiores nomes da categoria.

Palpite: Um erro pode custar essa luta. Mas vou de Thomson, numa disputa acirrada. “The Punk” por nocaute no terceiro round.

 

Clay Guida x Dennis Bermudez (categoria dos penas): O homem das cavernas Clay Guida era um lutador empolgante entre os leves, mas desde que desceu aos penas, se tornou modorrento, adotando sempre a mesma estratégia de quedar e controlar no ground and pound, sem buscar terminar suas lutas. Contra o wrestler da primeira divisão Dennis Bermudez, ele não terá facilidade para encontrar essas quedas e ainda terá que enfrentar boas combinações de boxe complementadas por joelhadas. Guida é dono de um queixo invejável e deverá ser novamente testado contra Bermudez. Caso os dois busquem a luta agarrada, no clinche Guida é muito forte e leva certa vantagem.

Palpite: Dennis Bermudez, por pontos, defendendo as quedas e conectando melhores golpes.

 

Anthony Johnson x Rogério Minotouro (categoria dos meio pesados): Anthony Johnson voltou ao UFC com tudo, vencendo o até então contender Phil Davis numa luta em que ele controlou por completo, defendendo as quedas e dominando de pé. Johnson é  um lutador bem completo, com um bom wrestling pra quedar e um ground and pound poderoso. Na parte de pé, combina potentes socos com muitos chutes altos, lançados com eficiência durante toda luta. Com as costas no chão, costuma ter problemas e ceder as costas, como visto em suas derrotas para Koscheck e Belfort. Ja Minotouro é um lutador de alto nível, mas que sempre é muito prejudicado por lesões. Ele venceu Rashad Evans e estava em grande momento, mas isso aconteceu em fevereiro de 2013, e de lá pra cá ele coleciona lesões. Dono de um boxe de alto nível, Rogério pode trocar com Johnson se estiver com o gás em dia sem maiores problemas e pontuar nas combinações  que utilizam muito bem golpes no corpo. No chão, Minotouro tem bom jiu jitsu, mas deve evitar ser quedado e ficar por baixo.

Palpite: Uma boa luta, mas acho que o tempo de inatividade de Minotouro vai pesar contra ele. Rumble Johnson por decisão.

 

Robbie Lawler x Matt Brown (categoria dos meio médios): Mais uma vez o UFC coloca no main event uma luta com potencial de ser a luta do ano. Dois lutadores que ressurgiram das cinzas em suas carreiras numa luta que pode os levar a ser o próximo desafiante ao cinturão de Johnny Hendricks. Matt Brown quase foi dispensado do UFC no final de 2011, mas de lá pra cá emplacou impressionantes sete vitórias seguidas. Na sua última luta, sobreviveu a um primeiro round em que sofreu um knockdown e quase foi finalizado, e venceu Erick Silva no terceiro round com brutalidade. Se não é dos mais qualificados no chão, Brown desenvolveu um sentido de urgência para sobreviver aos ataques. Em pé, uso constante dos cotovelos e joelhadas na curta distância e bons cruzados de direita capazes de nocautear um cavalo ditam o ritmo.

Já Lawler é o cara que se reinventou ao voltar ao UFC e baixar pros meio pesados. Ele perdeu a disputa pelo cinturão vago para Hendricks, mas fez uma luta duríssima e já retornou nocauteando Jake Ellenberger. Dono de um queixo de aço, Lawler parece um zumbi, levando socos e andando pra frente, sem se importar. Boas combinações de chutes altos, joelhadas voadoras e o potente gancho de direita são suas armas em pé. No chão, tem dificuldades para defender quedas e ficar por baixo, mas não acredito que Brown levará a luta para lá. Espere uma porradaria insana.

Palpite: Dois lutadores com muito coração, que caem pra dentro e são insanos. O queixo de pedra de Lawler vai lhe dar a vitória no quarto round, mas não sem antes passar por apuros. Imperdível.