Por: Ariston Sal Junior | 29/05/2014
Reprodução/OCP

Reprodução/OCP

A Polícia Civil parece ter pistas que podem indicar, em breve, o paradeiro da menina Emili Miranda Anacleto, de um ano e nove meses que desapareceu da casa da mãe há mais de uma semana, em Jaraguá do Sul. O delegado Wanderley Redondo, da Delegacia Especializada em Pessoas Desaparecidas, de São José, garante que as investigações já estão bem avançadas.

“Estamos muito adiantados nas investigações sobre o desaparecimento da menina. Amanhã (hoje), enviarei dois agentes para ajudar a delegada Milena Rosa, da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de Jaraguá do Sul, nas investigações e em possíveis diligências visando à localização da Emili”, afirma Redondo. Equipes da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Jaraguá do Sul colaboram com as investigações.

A Delegacia de Barra Velha também está engajada no caso, mas se concentra na situação do corpo encontrado carbonizado dentro do carro de Alexandre Anacleto, pai da criança desaparecida.

Depoimento

Durante a tarde de ontem, a delegada Milena Rosa tomou os depoimentos da mãe da criança, Josenilda Alves de Miranda, 21 anos; e da avó paterna, mãe de Alexandre, cujo nome não foi divulgado. Segundo a delegada, a família de Alexandre, que segue como principal suspeito de ter retirado Emili de casa, em Jaraguá do Sul, no último dia 21; opta pelo silêncio com a imprensa e pelo anonimato.

“Estamos trabalhando intensamente nesse caso. Já fizemos todos os pedidos necessários à justiça e estamos realizando diligências e tomando os depoimentos. Ainda falta ouvir a avó materna e o avô paterno, o que deve ocorrer amanhã (hoje). As duas famílias parecem desesperadas para encontrar a menina, o que deixa o caso ainda mais difícil de elucidar”, explica.

Quem tiver informações sobre o paradeiro de Emili deve ligar para a
Polícia Civil no telefone (47) 3370-0331, ou para o Disque Denúncia da Polícia Civil: 181

Via OCP