Por: Ariston Sal Junior | 3 anos atrás
Mandioca mede um metro e foi colhida há duas semanas por Érica e Wilfredo (Eduardo Montecino)

Mandioca mede um metro e foi colhida há duas semanas por Érica e Wilfredo (Eduardo Montecino)

Há duas semanas, o casal Erica e Wilfredo teve uma surpresa ao colher um aipim no terreno onde mora: uma raiz de um metro de comprimento e que pesa 6,5 quilos. Aposentados e unidos há 16 anos, o casal cultiva hortaliças e cuida de um belo jardim na Vila Mathias, localidade do Rio da Luz II. A casa onde residem foi construída em 1904 e é o lugar onde Erica mora há 56 anos.

Wilfredo Kraetzr, 76, conta que o aipim gigante foi colhido com facilidade. “Por fora, parecia normal. Aí puxei e veio essa raiz, que não estava bem firme na terra”, diz o aposentado. O casal guardou a raiz e não cortou. “Enterramos na areia para conservar. Eu nunca tinha visto um aipim desse tamanho”, comenta Erica Reinke Mathias, 74.

A raiz foi exposta na 21ª Festa Estadual do Colono, que aconteceu no último fim de semana na Sociedade Rio da Luz II – Salão Centenário. Mesmo com a idade avançada, os dois cultivam no terreno onde moram aipim, batata doce e banana para consumo próprio. “Não podemos mais trabalhar, mas sempre gostamos de mexer no terreno, roçar e plantar”, diz Erica. “Quando a gente fica velho é assim: sai uma doença e vem outra. Então, trabalhamos um pouco para distrair”, afirma Wilfredo.

O resultado das colheitas é dividido com parentes e amigos. “Plantamos e damos para os conhecidos que vem aqui nos visitar”, completa. Dependendo das condições do cultivo, as raízes de aipim podem levar seis meses para serem colhidas.

Via OCP