Por: Ricardo Daniel Treis | 5 anos atrás

É hora de se perguntar para onde foi o investimento na cultura do Estado. Afinal, quando um evento com a importância do Festival Catarinense de Teatro é cancelado porque não recebeu a contrapartida prometida pelo Funcultural sob a desculpa de que a cota orçamentária da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte para este ano já foi ultrapassada, é de achar que tem algo de errado acontecendo por aqui.

O Festival, que ia para a 17ª edição, ocorreria entre os dias 6 e 11 de novembro. A organização até tentou evitar o cancelamento, mas a três semanas do início do festival, as contas começaram a chegar e os R$ 250 mil prometidos pelo Estado em um projeto protocolado em novembro de 2011 e aprovado pelo Conselho Estadual de Cultura em julho de 2012 ficaram faltando.

“Era o momento de começar a pagar as despesas com alojamento e alimentação dos participantes e com a produção”, conta o presidente da Federação Catarinense de Teatro, William Siewerdt. Além disso, esse prazo também era válido para as companhias se reagendarem e tentarem conseguir outros trabalhos para os dias em que estariam em Concórdia, cidade que sediaria o evento em 2012.

Segundo William, há poucas chances de essa situação ser revertida como ocorreu no ano passado, quando a verba atrasou mas chegou a tempo para a 16ª edição acontecer em dezembro. A resposta oficial é de que não haverá dinheiro, mas há rumores de que haverá uma intermediação junto ao governador. Já o dinheiro investido pela Fecate com pré-produção não tem volta — o caixa da federação ficou mais vazio, mas os 200 profissionais das artes cênicas e o público ficarão sem o correr das cortinas neste ano.

Por Cláudia Morriesen.