Por: Tita Pretti | 3 anos atrás

Matéria de Sergio Almeida para o OCP Online:

Um grupo de cerca de 50 trabalhadores do Lote 2.2 da duplicação da BR-280, que compreende o Contorno Rodoviário, entre Guaramirim e Jaraguá do Sul, paralisou as obras desde segunda-feira, dia 9, e reivindica uma série de melhorias nas condições de trabalho e de alojamento. Durante a tarde de ontem, representantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada e Afins (Sintrapav), com sede em Joinville, estiveram reunidos com diretores locais da empresa Cetenco Engenharia, responsável pelas obras de duplicação, e visitaram os alojamentos. A partir desse encontro, as reivindicações começaram a ser atendidas.

Os trabalhadores reclamam da qualidade da alimentação fornecida; das condições do alojamento, no Bairro Santa Luzia; do barulho dos geradores de uma empresa, que fica em frente ao local em que eles dormem; do não pagamento da insalubridade ou periculosidade pela empresa contratante; e do não cumprimento de um acordo sobre folgas para visitas aos familiares.

2015_10_03-Greve-dos-trabalhadores-da-duplicação-BR-280-Piero-Ragazzi-40

Pela janela, funcionários protestam sobre as condições de trabalho Foto: Piero Ragazzi/OCP Online

De acordo com o assessor jurídico do Sintrapav, Maycon Porrua, os trabalhadores estão paralisados em razão, entre outras coisas, das condições de alojamento, que incluem calor excessivo, falta de estrutura, de ventilação e de uma saída de emergência. Ele conta que, a partir da reunião de ontem, a empresa já se dispôs a ver a situação da ventilação, até a instalação de um ar condicionado foi cogitada. A escada de emergência também deverá ser instalada.

Sobre a alimentação, segundo Porrua, houve problemas durante um final de semana. “Isso é uma questão de gestão e já vai ser sanado também”, afirma. Já com relação às folgas para visitas aos familiares, o assessor jurídico do Sindicato explica que a Cetenco tem demorado a realizar o ressarcimento das passagens aos trabalhadores. Segundo ele, a empresa se comprometeu a reembolsar esses valores nos próximos 10 dias.

O representante do Sindicato diz ainda que, como a obra inclui a abertura de um túnel, que está sendo perfurado para a duplicação da BR-280, os trabalhadores querem receber adicionais de insalubridade ou periculosidade. “O problema é que esses pagamentos dependem de laudos técnicos, que a empresa se dispôs a realizar e repassar ao Sindicato, para ver se há a possibilidade desses direitos ou qual outra medida poderá ser tomada”, afirma Maycon Porrua.

Uma nova reunião está agendada para hoje, na sede do Sintrapav, em Joinville, com a presença de um grupo de trabalhadores e de representantes da matriz da Cetenco Engenharia, que vêm de São Paulo para tratar da situação. Em razão disso, não há previsão de horário para o inicio da reunião. A data da retomada das obras também será definida no encontro.