Por: Ricardo Daniel Treis | 4 anos atrás

Saiu matéria no OCP de hoje quanto ao espaço verde nos fundos do Cejas/Scar, comentando do abandono, que está entregue ao lixo e usuários de drogas. De quem é a culpa? Da falta de comunicação:

“O presidente da Sociedade Cultura Artística (Scar), Udo Wagner, revelou que toda a área verde existente atrás do Centro Empresarial de Jaraguá do Sul (Cejas) e da própria Scar está sob a responsabilidade da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama). Contudo, o presidente do órgão, Leocádio Neves e Silva, alegou que a fundação apenas ajudou a idealizar a construção do local. ‘Em 2006 a Fujama fez uma mobilização entorno da implantação do espaço, mas a manutenção dele passou para o pessoal de jardinagem da Prefeitura’, explicou Neves.

Até ser contatado pela reportagem, o encarregado pelas atividades de jardinagem do município, Reinaldo Mamedes, acreditava que a manutenção do espaço era de responsabilidade da Fujama. O departamento está vinculado à secretaria de Obras. Ele afirmou que visitaria o local para conhecer o problema. ‘Vamos até lá tirar fotografias e marcaremos uma reunião com a Fujama para definir o que pode ser feito’, garantiu Mamedes.

O secretário de Obras do município, Hideraldo Colle, afirmou que o Bosque seria vistoriado. ‘Solicitei à equipe responsável para que fosse até o local ainda ver o que podemos fazer’, concluiu.”

Nunca passei da entrada do Bosque, e não faço ideia de qual seja realmente seu propósito. Tem um mirante lá em cima, ou algum local pra sentar e curtir um livro? Acredito que seja só uma trilha para caminhadas, certo? Mas então, como fiscalizar uma trilha?

Já alguns metros dali, logo ao lado, quem for num domingo à tarde vai ver: o estacionamento da Scar virou point de pais e filhos nas tardes de domingo em Jaraguá. Mais de 80 pessoas chegam a ocupar o lugar andando de bike, batendo bolinha, andando de skate ou roller. Um barato.

Podiam focar um pouco ali no aperfeiçoamento de infra-estrutura… Um bebedouro já seria grande acréscimo.