Por: | 8 anos atrás

 

Morreu por volta de 1h30min da madrugada desta quinta-feira, dia 23, José Carlos Neves, o “Gê”, um dos mais importantes colaboradores dos Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul. Aos 64, era casado com Meika Neves e tinha três filhos (Edoardo, Ricardo e Gabriela).

O corpo de “Gê”, maneira como era carinhosamente chamado por todos, está sendo velado na capela mortuária da Funerária Leier, saindo amanhã às 7h30min para cremação às 10 horas em Balneário Camboriú. O corpo será levado por uma viatura e acompanhado por amigos bombeiros e da comunidade.

José Carlos Neves deixa um legado de compromisso com a comunidade e exemplo de altruísmo. Além de atuar como vereador durante muitos anos, ainda no tempo em que os parlamentares não eram remunerados para a função pública, e de ter integrado a diretoria da Associação Empresarial na década dos anos 70 na gestão do presidente Waldir Rubini, fez dos Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul sua segunda casa. Inicialmente como bombeiro, a partir de 1968, atuando como motorista.

“Gê” permaneceu na função por cerca de dez anos, passando depois a ocupar funções na diretoria e chegando à vice-presidência por nove mandatos e depois como presidente de 23/08/78 a 26/08/80, e de um segundo mandato de 21/08/90 a 31/12/92. Atualmente, integrava o Conselho Fiscal da Corporação.

A morte prematura de “Gê” tomou de surpresa amigos e especialmente bombeiros, que durante o dia estão acompanhando o velório na capela mortuária da Funerária Leier até seguir nesta sexta-feira de manhã ao Crematório Vaticano, em Balneário Camboriú.

Giorgio Rodrigo Donini, presidente dos Bombeiros Voluntários, define “Gê” como a essência do lema da corporação de que “servir a uma causa é uma Honra!”

“Ele nos deixa importante exemplo de abnegação e de envolvimento com as causas da comunidade. Na vida pública, como vereador, ou como empresário e cidadão, sempre fez da conduta ética e do altruísmo marcas que ficam na história de Jaraguá do Sul”, define Donini, que é afilhado de José Carlos Neves.

O comandante da Corporação, Fabiano Cândido, também destaca a dedicação de “Gê” aos bombeiros voluntários. Desde o anúncio da morte do colaborador o sentimento é de de muita tristeza, lembrando que diariamente “Gê” passava pela Corporação para saudar os amigos, atento a todas as necessidades e buscando a melhoria contínua dos serviços.

Prova deste sentimento é de que mesmo não atuando na linha de frente operacional, contribuindo de maneira marcante com a diretoria, “Gê” jamais dispensou o uso da tradicional camiseta vermelha com o brasão da Corporação, seu único e verdadeiro uniforme, que usava com freqüência em várias oportunidades.