Por: Gabrielle Figueiredo | 2 anos atrás

Empreendedora e fundadora da FazINOVA, escola de empreendedorismo, Bel Pesce veio a Jaraguá do Sul na quarta-feira, dia 11, falar sobre inovação.

Bel estudou no Massachusetts Institute of Technology (MIT), onde se formou em Engenharia Elétrica, Ciências da Computação, Administração, Economia e Matemática, além de ter feito programas em Liderança e Inovação. Durante a universidade, trabalhou na Microsoft, Google e Deutsche Bank e, após concluir os estudos, Bel se mudou para o Vale do Silício, na Califórnia, região conhecida por abrigar as sedes das maiores empresas de tecnologia do mundo.

bel pesce em jaragua do sul

Foto: Divulgação Facebook Bel Pesce

A palestra abordou sobre como nós podemos ser mais inovadores no dia a dia, além de lições preciosas sobre o tema. Abaixo você confere as dicas que eu levei pra casa depois de ouvir ela falar:

“Muitas pessoas pensam que a inovação é descontínua, mas ela tem que ser algo contínuo.”

Nós imaginamos que existe o nosso eu “normal” sempre e em um determinado ponto vai surgir o nosso eu inovador. As coisas não devem funcionar assim. A inovação pode estar presente em coisas simples do dia a dia.

“Nossa cabeça está mais treinada para reclamar do que para encontrar uma solução.”

Certeza que muitos de nós já reclamamos de algo, mas não paramos para pensar em como poderíamos mudar essa situação. É só observar um pouco mais as coisas ao nosso redor que a solução pode ser encontrada.

“A grande maioria das inovações são simples, não são mirabolantes”.

Você não precisa criar um mega produto que vai revolucionar o mercado mundial. Você pode simplesmente pensar em algo que vai facilitar a vida de alguém. A Bel usou o exemplo do aplicativo Instagram, que nasceu como nada mais que uma rede social de fotos.

 “As soluções nem sempre estão onde você está trabalhando, mas elas podem te ajudar a ter sacadas legais.”

Talvez a solução para um problema no seu trabalho não vai estar em uma outra empresa similar. Pense fora da caixa, vá a outros lugares para se inspirar e buscar soluções.

“Muitas vezes a inovação morre antes de ser tentada porque as pessoas têm medo de não terem recursos.”

Quando você pensa em criar um projeto, um dos primeiros pensamentos é a falta de recursos. Quando a Bel falou essa frase confirmei ainda mais que dá pra fazer algo bacana mesmo sem grandes investimentos. Basta tirar a ideia do papel, sabe?

 “Quanto menor você começa, sabendo dos riscos, e com um possível plano B (se precisar), mais você consegue inovar.” / “Fazer menor para aprender mais rápido, pra crescer mais rápido.”

Realmente não adianta colocar os pés pelas mãos. Começar pequeno é melhor do que não começar nada. Aí as coisas vão se construindo e se consolidando.

“Inovação é muito mais tentativa e erro.”

Errar faz parte até da inovação. A gente erra tentando acertar e uma hora as coisas podem funcionar do jeito que você esperava.

“Inovação não é essa coisa super sexy que você sabe que dá certo. É começar com algo e melhorar, melhorar…”

Inovar não é tão glamouroso como se pensa. Algo simples vai tornando mais atraente e você vai melhorando a primeira versão que criou.

“Quando a gente erra, a gente aprende. O erro fica mais dentro de si do que o acerto.”

Quem já deixou a chave do carro trancada dentro do automóvel sabe que dificilmente isso vai acontecer de novo. O erro marca e faz a gente querer acertar cada vez mais.

Essas foram algumas das lições que anotei no meu caderninho durante a palestra, mas que já foram suficientes para eu sair de lá com a cabeça cheia de pensamentos sobre como posso inovar mais. =D