Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

Disse a ciência, beber vodka aumenta a associação de palavras e a criatividade verbal. Bem… Um brinde à oratória!

Da matéria que saiu no Gizmodo:

(…) A Science News conta que pessoas que estão alcoolizadas, mas não legalmente bêbadas, tem compreensão mais intuitiva em problemas difíceis de associação de palavras. A pesquisa, feita pela Universidade de Illinois, em Chicago e que apareceu na Consciousness and Cognition, mostra que indivíduos sóbrios fazem associações de palavras de forma mais deliberativa, o que diminui a velocidade delas.

Na pesquisa, metade dos participantes bebeu vodka quase no limite do percentual aceito pelas leis americanas — 0,08% — e metade não bebeu nada. Após isso, uma série de problemas de três palavras foi exibido a todos, e eles precisavam encontrar uma palavra que juntasse todas as palavras em uma situação. Na média, participantes alcoolizados responderam em 11,5 segundos, enquanto os sóbrios precisaram de 15,4 segundos.

Então taí, a cultura do “pra firmar o purso”, quem diria, tem apuro científico. Nessa história, vale lembrar que tem case nacional dos benefícios da cachaça a talentos musicais latentes… Vai Jeremias, canta uma pra nozes: