Por: Cláudio Costa | 2 anos atrás

Os banhistas que vão frequentar o Litoral Norte nesta temporada receberam uma má notícia da Fatma (Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina). O último relatório feito pela fundação mostra que quase 44% dos 57 pontos analisados na região estão impróprios para banho. Segundo reportagem do jornal O Sol Diário, análises feitas anteriormente indicaram índices semelhantes.

De acordo com a reportagem, o percentual é expressivo, principalmente porque a região avançou pouco no quesito saneamento básico. A falta do serviço de saneamento reflete diretamente nas praias. O diretor de proteção dos ecossistemas da Fatma, Márcio Luiz Alves, explicou que há diversos fatores considerados na análise. “Quando há vento forte e chuva, a tendência é que a situação piore por causa dos dejetos (que são levados para o mar)”, comenta Alves, ao ressaltar que locais onde a água é mais calma, como Porto Belo e Penha, são mais propícios para a água estar imprópria.

Balneário Camboriú apresentou quase metade dos pontos classificados como impróprios para banho. Porto Belo é a campeã no quesito, com todos os seis pontos analisados indicados como impróprios para banho. Penha tem cinco pontos e Itapema tem quatro. A avaliação é feita pela quantidade de coliformes fecais em 100 ml de água. Quando a amostra tiver mais de 800 coliformes fecais, o ponto é classificado como impróprio. Bombinhas (foto acima) apresentou apenas um ponto impróprio dos oito monitorados.

A Prefeitura de Porto Belo culpa as chuvas recentes pelo desempenho ruim nas análises. O grande volume de chuva fez com que o lençol freático ficasse elevado, o que dificulta o funcionamento correto dos sistemas de esgotamento individuais dos moradores. A falta de saneamento básico na cidade foi parar na Justiça. A prefeitura moveu uma ação contra os antigos gestores do município por causa do cancelamento de um convênio com o governo federal para construir a rede de esgoto.

Em Penha, o prefeito Evandro Eredes dos Navegantes assinou o contrato e deu a ordem de serviço para o início imediato das obras de saneamento básico. Agora, o governo cede a concessão do serviço pelo prazo de 35 anos ao Grupo Aegea Saneamento em troca da injeção financeira de R$ 181 milhões no setor. A meta é implantar a solução para o tratamento de água a curto prazo e o sistema de tratamento de esgoto a partir do quarto ano de contrato.

Balneário Camboriú conta com 95% de cobertura da rede de esgoto no município. Apesar disso, no fim de setembro o prefeito Edson Piriquito, o diretor-geral da Emasa, André Ritzmann, e os ex-diretores da companhia, Eduardo Hamond Regua e Valmir Pereira, foram multados pelo Tribunal de Contas do Estado em R$ 2,4 mil cada pela destinação incorreta do esgoto – eles recorreram da decisão. André Ritzmann explica que na época das medições a estação não trabalhou com 100% da capacidade e houve problemas nas bombas de retorno. De acordo com ele, as manutenções necessárias já foram feitas.

Relatório de balneabilidade Litoral Norte*

– Balneário Camboriú – 6 impróprios / 8 próprios
– Balneário Piçarras – 2 próprios
– Bombinhas – 1 impróprio / 7 próprios
– Itajaí – 1 impróprio / 4 próprios
– Itapema – 4 impróprios / 4 próprios
– Navegantes – 2 impróprios / 2 próprios
– Penha – 5 impróprios / 6 próprios
– Porto Belo – 6 impróprios
– Barra Velha – 2 impróprios/2 próprios

 *Dados divulgados na sexta-feira

Confira o mapa com a situação das praias no Estado (clique na imagem para acesso):

mapa praias

Fonte: O Sol Diário