Por: Ricardo Daniel Treis | 07/07/2011

A vereadora Natália Lúcia Petry informou na tribuna ter recebido 12 ligações de munícipes por conta do reajuste da tarifa no transporte coletivo municipal, que passa a vigorar a partir da próxima segunda-feira, dia 10. “As pessoas me questionavam porque a Câmara vai permitir o aumento nas passagens”, comentou, na sessão desta terça-feira, 5.

Natália disse ter informado os usuários de que se trata de uma decisão exclusiva da prefeita Cecília Konell, através de decreto. “Não é competência nossa legislar esta questão, mas que a empresa possa estar refletindo sobre esta decisão, uma vez que os salários dos seus funcionários não acompanharam este reajuste”, comentou.

O vereador Justino da Luz lembrou que a Associação dos Usuários do Transporte Coletivo e o CDH (Centro de Direitos Huanos), assim como o Partido Verde, ingressaram com ação requerendo tanto o cancelamento do reajuste, ocorrido em 2010, como do próprio contrato de concessão do serviço. Segundo ele, até agora sem uma resposta das autoridades judiciais.

“Outro detalhe é que não se trata de um contrato, mas de um descontrato, que já está em seu terceiro termo aditivo”, continuou Justino, lembrando que foi feita a desapropriação de um imóvel ao lado do atual terminal urbano, para o qual foram pagos quase R$ 400 mil, até hoje sem cumprir com a finalidade de abrigar a obra de um novo terminal.

O vereador citou, ainda, a questão dos miniterminais de bairros, segundo ele em situação precária, exigindo melhorias, caso da Rua José Picolli.


Via Diário do Vale.