Por: Ricardo Daniel Treis | 4 anos atrás
amarrado

Preso no poste, assaltante recebeu socos e pontapés até sangrar (Foto: Polícia Militar/Divulgação) 

Um rapaz de 26 anos foi amarrado com cordas a um poste na tarde desta quinta-feira (13) na cidade de Itajaí, na região do Vale, após assaltar uma lanchonete. Segundo a Polícia Militar, o fato aconteceu por volta das 14h no bairro Cordeiros. Como não conseguiu fugir e estava desarmado, o suspeito foi detido por populares e recebeu socos e pontapés até sangrar.

O episódio lembra o fato que ocorreu no Rio de Janeiro no último dia 31 de janeiro, quando um adolescente de 15 anos foi encontrado nu acorrentado pelo pescoço a um poste com uma tranca de bicicleta após ser agredido a pauladas por um grupo encapuzado. Segundo moradores, ele fazia parte de uma quadrilha que praticava assaltos na Zona Sul.

A PM catarinense informou que outro jovem o acompanhava no assalto desta quinta, mas o assaltante conseguiu fugir do local. A dupla chegou em uma motocicleta, entrou na lanchonete com um revólver, roubou R$ 2 mil do estabelecimento e objetos pessoais dos clientes. Na tentativa de fuga, o veículo não funcionou.

O suspeito que estava com a arma, o dinheiro e os objetos roubados conseguiu correr. A polícia disse que o rapaz que não obteve sucesso na fuga foi detido por populares, que o amarraram no poste e o agrediram até que ele sangrasse, principalmente no rosto.

Ainda de acordo com informações dos agentes, o jovem foi encaminhado para uma unidade de pronto-atendimento do município com a ajuda do Corpo de Bombeiros Militar, onde foi medicado. Ele foi conduzido para o Presídio da Canhanduba, em Itajaí.

A PM informou também que fez buscas pela localidade onde aconteceu o assalto, mas, até as 19h desta quinta (13), não havia encontrado o outro suspeito. A moto da dupla foi apreendida pela polícia.

Via G1.


Sobre a questão, há o embasamento da lei:

Art. 301 – Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito.

Art. 302 – Considera-se em flagrante delito quem:
  I – está cometendo a infração penal;
  II – acaba de cometê-la;
  III – é perseguido, logo após, pela autoridade, pelo ofendido ou por qualquer pessoa, em situação que faça presumir ser autor da infração;
  IV – é encontrado, logo depois, com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser ele autor da infração.

Porém antes de nós, assustados e acuados pela criminalidade, aplaudirmos a onda justiceira que espanca e humilha, é preciso pensar aonde isso vai chegar. Talvez nem todos tenham visto, mas dos originais, aqueles lá do Rio que acorrentaram o rapaz, dois foram identificados: “João Victor é acusado de estupro, lesão corporal, furto em um condomínio e ameaça. Raphael responde por uso de drogas e por recusa ao serviço eleitoral.”

A pergunta vem duma HQ, mas cai bem pro momento: quem vigia o vigilante?

A lei dá amparo, mas o medo e o rancor encurtaram a distância entre atuar como cidadão ou ser mero linchador. Temos a bestialidade por dentro, e quando pessoas desequilibradas e despreparadas começam a, em massa, ser executoras, lá fora não vai ser seguro pra ninguém.