Por: Ricardo Daniel Treis | 8 anos atrás

Pouquinho antes de começar o filme, o produtor Fabiano Gullane pediu ontem que quem gostasse o recomendasse. Levasse a família, os vizinhos para assistir, para incentivar essa indústria nacional. Fazendo um pouco do que posso, eis o post com a recomendação: “As Melhores Coisas do Mundo” vale a sessão.

Estava com um pé atrás por tratar-se de um filme teen.

Produção nacional, e se viesse algo na linha Malhação? Arre! Mas, felizmente, que nada. O roteiro baseia-se nos tão conhecidos dramas da adolescência, mas é criativo, sério, leve, divertido, contemporâneo.

Qualquer um aí com irmãos mais novos ou sobrinhos vai querer uma reprise em família. Cyberbullying, decepção amorosa, preconceito, política, virgindade, crise na família – as situações são abordadas e entretém. Eu, lá, trintão, não tinha porque curtir muito, mas filmes bem feitos sobre o gênero trazem prazerosamente algumas sensações adormecidas e identificações – acho que seria algo tal qual fazer uma sessão de Kids com a galera.

A direção ficou ótima, a fotografia muito boa, e a trilha sonora surpreende. Something, dos Beatles, é a faixa principal da sessão, o que representa bem a inteligência do filme.

Foi dito que patrocinar uma produção dessas é um tiro no escuro, não dá pra saber se vai ficar boa ou não. Fico feliz em ver que a marca da Weg, apoiadora da película, vai fazer introdução a muitas boas sessões país e mundo afora.


O filme estréia amanhã no cine Jaraguá, fica de olho na programação.