Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

Cuidado com os bichinhos galera. Segue matéria do AN de hoje:

Coruja Buraqueira

O animal que é símbolo da sabedoria não poderia ter escolhido um local mais apropriado para viver: uma universidade. Há mais de três meses, um casal de corujas escolheu o bueiro do estacionamento do Centro Univertário Católica SC, em Jaraguá do Sul, para fazer o ninho. Os primeiros a encontrar os moradores ilustres foram os vigias da instituição.

O segurança Antônio José Fernandes, de 49 anos, trabalha na guarita do estacionamento com um olho nos carros e o outro nas corujas. Ele garante que ninguém mexe com os bichinhos, que já viraram mascotes. “Achamos elas por acaso. O ninho está em um local perigoso, mas todos os motoristas tomam cuidado para não atropelá-las. Algumas alunas já apelidaram as corujas de ‘fofas'”, conta.

Mayara Peritto, 24 anos, auxiliar de cartório, disse que em seis anos na instituição nunca tinha visto nada parecido. “É a primeira vez que elas aparecem. Achamos engraçado fazerem um ninho no bueiro. Elas não incomodam e é mais uma atração para os visitantes e para quem trabalha aqui”, relata.

Diferentemente da maioria das corujas, esta espécie, conhecida popularmente como buraqueiras, tem hábitos diurnos.

Antônio, que observa a rotina das corujas todos os dias, descreve que durante de manhã e à tarde elas ficam cuidado do ninho e procurando alimentos. Mas o que mais chama a atenção é que o casal escolheu o bueiro para morar, uma vez que o mais comum entre as buraqueiras é cavar a terra e viver embaixo dela.

O biólogo da Prefeitura de Jaraguá do Sul, Ulises Sternheim, ficou surpreso com a situação. “Já vi muitas dessas corujas na cidade, mas dentro do bueiro nunca tinha presenciado. O animal deve ter achado mais fácil entrar em uma toca feita”, diz.

Ulises também alertou que as corujas são animais silvestres e, por isso, são protegidas pelos órgãos ambientais. “Se mexerem no ninho, possivelmente, a área próxima terá de ser isolada”, avisa.