Por: João Marcos | 6 anos atrás

E vai fechando o cerco contra o cigarro no Brasil, na última terça-feira (13) a diretoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou por unanimidade a resolução que proíbe o uso de aditivos que dão sabor a produtos derivados de tabaco, como mentol e cravo. O uso do açúcar, porém, continua permitido.

A indústria terá 18 meses para adequar os cigarros à nova regra. A decisão não vale para produtos exportados para outros países.

De 2007 a 2010, subiu de 21 para 40 o número de marcas de cigarro com aromatizantes, segundo a Vigilância Sanitária. Uma pesquisa feita em 13 capitais pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) indica que o cigarro com sabor é o preferido entre adolescentes brasileiros que começam a fumar.

“O cigarro da década de 60 e 70 não era agradável, mas havia uma propaganda que incentivava o consumo”, explica a cardiologista Jaqueline Issa, do Instituto do Coração (Incor). “À medida que houve uma restrição da publicidade, a indústria precisou criar um produto mais atraente.” De 15% a 17% da população brasileira é fumante hoje em dia. “Para alcançarmos um dígito, o caminho é difícil e essas coisas que parecem pequenos detalhes passam a ter uma importância enorme”, comenta.

 

Via Uol