Por: Deivis Chiodini | 5 anos atrás

O UFC volta ao MGM Grand Garden Arena em Las Vegas, numa noite em que mais uma vez, as atenções estão voltadas ao maior astro do show, Anderson “Spider” Silva, que coloca em jogo seu longo reinado na categoria dos médios contra o jovem Chris Weidman, que vem falando muito e prometendo conquistar o cinturão. No card preliminar, fique atento a luta entre o homem do nocaute mais espetacular de 2012, Edson Barbosa contra o também brasileiro, Rafaello Trator, e a volta ao octógono do casca grossa Gabriel “Napão” Gonzaga contra Dave Hermann. Vamos a análise do card principal.

Cub Swanson x Dennis Siver (categoria dos penas): Vindo de 4 vitórias consecutivas, 3 delas por nocaute e ocupando a 5° posição no ranking, Cub Swanson tentará emplacar mais uma boa vitória e entrar de vez na fila por um title shot e consequentemente uma revanche contra José Aldo, que o nocauteou em 8 segundos no extinto WEC. Para isso, ele enfrentará o russo naturalizado alemão Dennis Siver, que também vem de duas vitórias e ocupa a 6° posição no ranking da categoria. Siver é um criativo striker, oriundo do taekwondo e do kickboxing, que usa muito bem as combinações de chutes altos e socos, confundindo seus adversários. No chão, apesar de ter 9 finalizações, seu jogo apresenta algumas brechas, principalmente quando tentar explodir para sair de baixo, onde erra e muitas vezes cede as costas.
Já Swanson, dono de um queixo muito duro, também tem sua maior fragilidade no chão, quando por baixo, apesar de ser um faixa preta de jiu jitsu. Dono de um jogo de boxe imponente, Swanson costuma castigar a linha de cintura de seus adversários com boas combinações de jabs e diretos no corpo, fazendo seus oponentes darem espaços na guarda para seu bom overhand que pode nocautear o oponente.
Palpite: Uma luta que tem tudo para ser muito dura e disputada quase em sua totalidade em pé, podendo ser definida em um golpe. Aposto na velocidade das mãos de Swanson, conseguindo um nocaute no 2° round.

Mark Munoz x Tim Boetsch (categoria dos médios): O 10° colocado do ranking dos médios, Tim Boetsch, tenta recuperar o caminho das vitórias, após a derrota por nocaute para Costa Phillipou, o que fez cair uma boa sequência de 4 vitórias, inclusive sobre bons nomes como Yushin Okami e Hector Lombard. Ele terá pela frente o 8°colocado no ranking, o descendente de filipinos Mark Munoz, que vem de longo hiato após perder para Chris Weidman, que também interrompeu uma boa sequência de 4 vitórias. Boetsch, é o típico lutador limitado, que se utiliza de grande raça, queixo duro e mãos pesadas para angariar vitórias, como foi a reviravolta e o nocaute sobre Yushin Okami. Um tanto quanto lento, Boetsch tem um bom jogo de clinche, trabalhando muito no “dirty boxing” (golpes aplicados com os adversários em clinche) e é muito perigoso nos contra-ataques, com uma mão extremamente pesada.
Munoz, que acabou sendo surpreendido pelo hoje postulante ao cinturão Chris Weidman em sua última luta, vem de longa recuperação de lesão e isso pode pesar em seu ritmo de luta. Wrestler de altíssimo nível, Munoz costuma usar a trocação apenas o necessário, para então entrar em quedas e colocar seu adversário no chão, controlando no ground and pound e esperando a brecha para nocautear. Essa deve ser sua estratégia contra Boetsch, mas como citado anteriormente, seu tempo parado pode pesar contra e fazer com que não tenha o tempo certo e a velocidade para as quedas, correndo risco de contra-ataques de Boetsch.
Palpite: Boetsch é perigoso, mas Munoz, apesar do tempo parado, é um lutador mais completo. Eu aposto numa luta de muito clinche e quedas, onde Munoz controlará por cima e vencerá por pontos.

Tim Kennedy x Roger Gracie (categoria dos médios): Duas feras no jogo de chão migram do Strikeforce e fazem sua estreia nessa edição do UFC. O experiente e duas vezes postulante ao cinturão dos médios do Strikeforce Tim Kennedy é uma delas. Kennedy que divide seu tempo entre ser lutador profissional e sargento do exército americano, é um lutador especialista no chão e treina seu jiu jitsu com Relson Gracie, tendo em sua especialidade aplicar estrangulamentos como a guilhotina e o mata leão. Além disso, ele costuma usar também sua base de wrestling para dominar seus oponentes no chão, com o ground and pound. Vale lembrar que ele jamais foi finalizado, mesmo tendo enfrentado Ronaldo Jacaré, quando foi derrotado apenas por pontos.

Dessa vez, ele terá pela frente um osso duríssimo no chão, ninguém menos que Roger Gracie. Se o sobrenome já causa arrepios quando se fala em luta de chão, após você ver o currículo de Roger entenderá porque ele é considerado o maior vencedor da história do jiu jitsu esportivo. São 10 títulos mundiais de jiu jitsu na faixa preta (categorias até 99kg e absoluto), e 2 títulos do ADCC.
Bem menos experiente no MMA, Roger faz apenas sua 8° luta e a 2° na categoria dos médios. Seu jogo de pé ainda carece de grande evolução e caso Kennedy consiga controlar a distância e manter Roger de pé poderá sair vencedor. No chão, mesmo com todo background de Kennedy, vejo Roger um nível acima.
Palpite: Uma luta muito estudada, com alternância de posições e muito clinche. Aposto no jogo mais efetivo de chão de Roger, que vencerá por finalização no 2° round.

Frankie Edgar x Charles “do Bronx” Oliveira (categoria dos penas): O guerreiro e 4° colocado do ranking Frankie Edgar só tem uma coisa em sua cabeça para próxima luta: voltar a vencer. Após 3 derrotas consecutivas, duas para Ben Henderson pelo cinturão dos leves e uma para José Aldo na sua estreia nos penas também valendo cinturão, Edgar tem a missão de provar que pode definir seus combates, não deixando nas mãos dos jurados. Ele terá pela frente o jovem brasileiro Charles “do Bronx” Oliveira, que vem de derrota por nocaute para Cub Swanson, após vencer suas duas primeiras lutas na categoria dos penas.
Frankie Edgar é considerado um dos queixos mais duros do MMA, sendo que nunca foi nocauteado ou sequer finalizado, sendo apenas derrotado por pontos. Frankie tem seu jogo calcado no velho e eficiente padrão americano de boxe-wrestling, com muitos jabs, andando pra frente e aproveitando espaços para entrar em quedas, derrubando e controlando no ground and pound. Dono de um jiu jitsu defensivo, treinado por Ricardo “Cachorrão” Almeida e Renzo Gracie, Edgar não costuma tentar muitas finalizações, mas tem boa habilidade para raspagens e sair de posições delicadas. Edgar precisa provar nessa luta que pode vencer seus oponentes sem deixar a decisão na mão dos jurados, o que só aconteceu 3 vezes em suas 9 vitórias no UFC.
Ele enfrentará o jovem de apenas 23 anos, Charles “do Bronx” Oliveira. O lutador da baixada santista, apesar da pouca idade, já fez 8 lutas no UFC e uma vitória sobre Edgar mostraria que ele deixou de ser apenas uma promessa, sendo um passo gigante em sua carreira. Após sofrer uma lesão no aquecimento para luta e ser duramente nocauteado por Cub Swanson, Charles reforçou seu treino de muay thai, visando controlar a distância e manter Edgar caminhando para trás, usando sua vantagem de 12 centímetros de envergadura. No chão, Charles tem um jiu jitsu fino, muito bem treinado pelo veterano Jorge “Macaco” Patino. Dono de 3 finalizações da noite, Charles costuma atacar da guarda, além de ter boas raspagens e ataques as costas. Charles foi o vencedor da melhor finalização de 2012, com uma raríssima chave de panturrilha sobre Eric Wisely.
Palpite: Luta em que Edgar é amplamente favorito, mas eu sinto o cheiro de um grande zebra no ar. Não estou sendo patriota ou torcedor, mas sempre vi em Charles do Bronx um grande potencial e acredito que ele está pronto para provar isso. Aposto numa zebra, com do Bronx vencendo com um leglock no 3° round.

 Anderson Silva x Chris Weidman (cinturão dos médios): Ah, que sensação de quem já viu esse filme. Novamente apareceu alguém que “é o maior desafio da carreira, um lutador realmente capaz de tirar o cinturão do Spider”. Eu já ouvi isso sobre Nate Marquardt, Dan Henderson, Demian Maia, Vitor Belfort, Chael Sonnen. Cada um deles tinha a arma secreta, o antídoto certo para Anderson e a imprensa, principalmente a americana sempre acreditou piamente que eles venceriam. O resultado? Anderson venceu todos e é dono do cinturão até hoje. A bola da vez agora é Chris Weidman. Dono de apenas 9 lutas (menos que o número de defesas de cinturão que Anderson tem), Weidman chega cheio de hype, após uma boa vitória por nocaute sobre Mark Munoz e uma vitória por pontos sobre Demian Maia, no pior momento de sua carreira, antes dele descer de categoria. De resto nada de mais expressivo. Weidman pode vencer Anderson? Claro que pode, qualquer um que entre no octógono tem a chance. Mas até que ponto ele merece essa chance? O que ele fez para poder falar com tanta autoridade e ter lutadores como GSP o apontando como um fabuloso lutador? Estar invicto após 9 lutas? Sinceramente, acho Weidman um ótimo lutador, com um jogo de grappling que combina muito bem o wrestling e o jiu jitsu, com ótimas referências de seu passado como wrestler na NCAA e boas participações no ADCC. Em pé, seu jogo é sólido e ele tem boas cotoveladas e socos e usa isso para abrir brechas para conseguir quedas e colocar seus oponentes com as costas no chão, e essa deve ser sua tática para tentar vencer Anderson.

Agora, parece que muitas vezes se esquece que dentro do octógono estara o lutador mais completo da história do MMA. Que outro lutador de MMA é faixa preta de taekwondo,muay thai,jiu jitsu e judô, além de ser um exímio lutador de boxe? Todos sabemos que seu ponto mais fraco é a defesa de quedas, mas, mesmo assim, Anderson finalizou dois wrestlers do mais alto gabarito, como Dan Henderson e Chael Sonnen. Anderson tem um bom jiu jitsu aplicado no MMA e sabendo das qualidades de chão de Weidman, reforçou seus treinos no chão com feras como André Galvão e Fabricio Werdum. Na parte de pé, eu sinceramente não vejo como Weidman vencer Anderson e suas combinações de chutes baixos, socos e as incessantes trocas de base e jogo de esquivas. Ninguém meus amigos tem 16 vitórias e nenhuma derrota no UFC a toa. Ninguém defende seu cinturão por 10 vezes a toa. E eu acredito que o Spider vai provar isso mais uma vez.
Palpite: Mais um hype sendo derrubado, por uma passada de carro de Anderson. Nocaute no 1° round do brasileiro sobre o fanfarrão Weidman.