Por: Ricardo Daniel Treis | 7 anos atrás

 

Rodrigo Raineri, que escalou o monte Everest, é convidado da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul no dia 17 de fevereiro para falar sobre superação durante palestra no Centro Cultural.

O evento ocorre as 19h30 e abre a programação dos núcleos da ACIJS e APEVI em 2011.

Os ingressos custam R$ 25,00 para nucleados e estudantes; R$ 30,00 para associados da ACIJS, APEVI e CDL; e R$ 40,00 para demais Interessados. Na compra de pacotes de 10 ingressos há negociação de valores diferenciados. A renda deste evento será revertida ao Hospital e Maternidade Jaraguá.

Informações pelo email nucleos@acijs.com.br ou pelo telefone (47) 3275-7012.

Na palestra “O mundo sob a perspectiva de quem chegou ao topo do Everest” Rodrigo Raineri vai falar sobre as experiências de aventuras, abordando questões como ousadia, perseverança e motivação no trabalho em equipe.

 

Formado em Engenharia da computação pela Unicamp, Rodrigo trabalha há mais de 17 anos como profissional de esportes de aventura, ministra cursos, workshops e palestras, foi professor de pós-graduação em ecoturismo.

Ele chegou ao cume do Everest por três expedições, em 2005, 2006 e 2008.

O evento é uma realização da ACIJS e APEVI, com patrocínio da Javel – FIAT, A Notícia e Sol Paragliders, e apoio da UNERJ/PUCPR, Marista, NGT – TopTools, WEG, Saint Sebastian Flat, Cosmos Viagem e Turismo e FENPAR Empreendimentos.

Próxima meta: descida do Everest de parapente

O próximo projeto de Rodrigo Raineri já tem data marcada. Em abril e maio de 2011, ele vai escalar a maior montanha do mundo, o monte Everest, e descer voando de parapente.

Em 2010, escalou o Mont Blanc, maior montanha da Europa Ocidental com 4.808m pela terceira vez. A grande novidade desta expedição não foi a escalada, mas sim a descida: desceu voando de parapente, em apenas 29m30s.

Em 2008, Rodrigo realizou um sonho antigo: chegar ao cume da maior montanha do mundo o monte Everest.

Em 2006 viveu uma enorme perda: Vitor Negrete, seu melhor parceiro, e amigo por 18 anos, que morreu no monte Everest, após atingir o cume sem o uso de oxigênio suplementar.

No Everest, em 2005, Rodrigo mostrou maturidade, experiência e optou pela segurança: chegou a 8.200m sem auxílio de oxigênio suplementar, continuou a escalada com o auxílio de oxigênio por causa do clima, e sabiamente retornou a poucos metros do cume (8.850m).

Rodrigo Raineri liderou 11 expedições ao Aconcágua, a maior montanha das Américas, chegando ao cume por seis vezes. Planejou, e com Vitor Negrete, formou a única dupla brasileira a escalar a Face Sul do Aconcágua, em 2002, a mais difícil e perigosa, bem como a Rota Noroeste do Aconcágua em pleno inverno, em 2004.

Em 2001, em parceria com Guilherme Silva, seu sócio na Grade VI, desceu e mediu a maior  cachoeira do Brasil, a Cachoeira do Pai Nosso, na Serra do Aracá, em plena Selva Amazônica, com 353 metros. Em 1997, com Rodney Ferreira e Eusébio Júnior, conquistou uma das vias de escalada em rocha mais difíceis do Brasil na época, na Pedra do Baú, São Bento do Sapucaí – SP. Guia de montanha e instrutor de escalada em rocha e gelo há mais de 15 anos, escala e lidera expedições na América do Sul, Europa, África e Ásia. Superar desafios desta natureza requer bem mais do que capacidade física e técnica.

Rodrigo Raineri reúne as habilidades necessárias a qualquer homem ou mulher que deseja se superar profissionalmente e atingir suas metas mais elevadas: planejamento estratégico,  treinamento adequado, comprometimento com o projeto, motivação, perseverança, trabalho em equipe, logística, gerenciamento de riscos, ousadia e superação de limites. “Não se escala uma montanha sozinho. O trabalho em equipe é fundamental sob condições extremas, quando superar os conflitos individuais representa a diferença entre a vida e a morte”,afirma.

Mais informações sobre o montanhista em www.rodrigoraineri.com.br.


Via Assessoria de Com. – Ronaldo Corrêa