Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás

29032010dinheiro003

Na última semana, uma panificadora de Guaramirim recebeu um despejo de notas falsas de R$ 50. Foram quatro casos desde quarta-feira (3) até ontem, no mesmo estabelecimento, na Rua João Sotter Correa. Outro caso aconteceu em Jaraguá do Sul, num posto de combustíveis da Rua José Theodoro Ribeiro, no Bairro Ilha da Figueira. Ninguém foi preso até o momento.

No posto, um homem moreno, de estatura mediana, abasteceu o carro, um C3, e pagou com uma nota de R$ 50. Segundo o frentista, o homem entregou a nota e saiu rapidamente, seguindo em direção a Guaramirim pela Rua José Theodoro Ribeiro. Junto com ele, no veículo, havia uma mulher. O frentista contou à Polícia Militar que o homem tinha consigo um maço com várias notas de R$ 50. A PM fez rondas nas imediações, mas não localizou o veículo.

Na panificadora de Guaramirim, um homem fez compras com uma nota falsa de R$ 50, no dia 3. No sábado, dia 6, aparentemente o mesmo homem tentou novamente fazer compras, mas a nota foi identificada como falsa. O homem foi embora e nada levou.

Na última quarta-feira (10), por volta das 13 horas, um cliente da panificadora, que sempre faz compras no local, tentou pagar com uma nota de R$ 50, que foi identificada como falsa pela atendente, com a ajuda de uma caneta de identificação. O homem disse que recebeu a nota em um posto de combustíveis. Ele foi embora sem levar as compras.

Na tarde de ontem, foi a vez de duas mulheres, aparentando entre 20 e 25 anos, apresentarem uma nota falsa, com a qual pagariam a compra de sorvetes. A nota também foi identificada como falsa. Nervosas, elas pagaram com outra cédula e foram embora. Segundo a sócia da panificadora, Roseli Cavalheiro, foi a primeira vez que elas foram ao estabelecimento.

O que fazer com cédulas suspeitas

A falsificação é crime previsto pelo artigo 289 do Código Penal, com pena prevista de 3 a 12 anos de prisão. Quem tentar colocar uma cédula falsa em circulação depois de tomar conhecimento de sua falsidade, mesmo que a tenha recebido de boa-fé, pode ser condenado a uma pena de 6 meses a 2 anos de detenção. Caso alguém receba uma nota falsa, a orientação é encaminhá-la a uma agencia bancária e procurar uma Delegacia de Polícia para registrar a ocorrência.

De acordo com as orientações do Banco Central, em casos de suspeita de notas falsas, é preciso saber como agir para identificar a sua validade, conferindo os principais elementos de segurança:

• Nas notas mais antigas, mas ainda em circulação, verifique a marca d’água, a imagem latente e o registro coincidente. Observe também o relevo;

• Nas cédulas lançadas em 2010, de tamanho menor, verifique a marca d’água, o número escondido, a faixa holográfica (nas notas de 50 e 100 reais) e o número que muda de cor (nas notas de 10 e 20 reais). Sinta também o alto-relevo.

Via OCP Online.