Por: Tita Pretti | 4 anos atrás

IMG-20141104-WA0042

Depois de ser condenada a pagar R$ 5 mil por danos morais a um juiz após parar o magistrado em uma blitz da Lei Seca sem carteira de habilitação, em uma Land Rover sem placas e sem o licenciamento, a agente de trânsito Luciana Silva Tamburin está recebendo uma grande ajuda da população através da Internet.

Foi criada uma mobilização virtual chamada de “Divina Vaquinha” para arrecadar dinheiro e até agora já foram arrecadados quase R$ 11 mil, sendo que pouco mais de R$ 9 mil são de doações a confirmar. Para contribuir clique aqui.

Relembre o caso

O caso ocorreu em fevereiro de 2011, no bairro do Leblon, no Rio de Janeiro. A agente de trânsito licenciada do Detran, Luciana Silva Tamburin, abordou o juiz João Carlos de Souza Corrêa em uma blitz da Operação Lei Seca. Ele foi parado pela fiscal por dirigir um veículo sem placas, sem licenciamento e estar sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Então, a agente informou que o veículo precisaria ser apreendido. De acordo com Tamburin, o juiz se identificou e deu voz de prisão a ela. Carlos afirma que a agente teria dito “juiz, mas não Deus”. O desembargador José Carlos Paes, da 14ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça do Estado do RJ, condenou Tamburin a pagar R$ 5 mil ao juiz porque ela teria desafiado “a própria magistratura e tudo o que ela representa”. De acordo com a decisão, a servidora pública “agiu com abuso de poder e zombou da magistrado”.

Com informações do Extra e do Terra.