Por: Ricardo Daniel Treis | 24/05/2011

Depois do assassinato do jovem Rafael Sant’Ana, 18 anos, que foi espancado e esfaqueado em frente a uma danceteria em Jaraguá do Sul, a Polícia Civil começou a fazer um dossiê para apurar todas as ocorrências relacionadas a brigas em regiões próximas de duas boates da cidade: Chopp Club, no bairro Água Verde, e a danceteria Líder Club, no bairro Vila Lalau.

O dossiê reuniu cerca de 30 ocorrências, dos últimos dois anos, que foram entregues para o delegado regional de Jaraguá do Sul, Uriel Ribeiro, que avaliará.

Segundo o delegado Adriano Spolaor, foram verificadas ocorrências de todos os tipos: brigas, esfaqueamento, ameaças, discussões e homicídio, como no caso de Rafael. Ele diz que o objetivo é verificar se as festas realmente são motivos para a violência na região.

“Nós fizemos a nossa parte. E encaminhamos para a Delegacia Regional que avaliará se existe a necessidade de cassar os alvarás de funcionamentos destas boates ou não”, explica o delegado.

Via AN, continue lendo.


Quebra-pau nunca foi segredo (e também não é exclusividade) desses clubes, mas até então isso sempre foi tomado como piada interna.

No jornal, a legenda da foto dizia “Intenção é verificar se festas impulsionam a violência”, o que não faz sentido. Fechar o clube pelas festas em sí? Então consideremos também a proibição da venda de facas, certo?

Vagabundo que sai pra arranjar encrenca faz barulho até em padaria.