Por: Sistema Por Acaso | 4 anos atrás

Leandro Emílio da Silva Santos, acusado de assassinar Mara Tayana Decker, foi condenado a 56 anos de prisão. De acordo com a decisão do júri popular, serão 30 anos por homicídio, 15 por estupro, 8 por cárcere e 3 por violação de cadáver. A sentença foi definida na noite da última quinta-feira (27), no Fórum de Joinville. No julgamento, o réu falou por aproximadamente 40 minutos e confessou o crime de homicídio.

A garota desapareceu na madrugada do dia 1º de maio e foi encontrada morta dois dias depois. Leandro é acusado de homicídio quadruplamente qualificado, cárcere privado, estupro de vulnerável, destruição e ocultação de cadáver. O homem de 27 anos se entregou à polícia no dia 5 de maio. Ele afirmou ter estrangulado a jovem de 19 anos com uma gravata e depois a esquartejado.

Entre as testemunhas de acusação ouvidas estava a mãe da jovem de Guaramirim. Ela se emocionou muitas vezes e deu detalhes, desde o desaparecimento de Mara ao reconhecimento do corpo quando foi encontrado. Pela manhã, 15 familiares de Mara protestaram em frente ao Fórum. Com cartazes, eles pediam a condenação do acusado. “Queremos Justiça, queremos que pegue a pena máxima”, afirmou o pai de Mara, Romildo Decker.