Por: Ricardo Daniel Treis | 4 anos atrás

ESTE É UM RELEASE EDITADO E COMENTADO
Versão original aqui, só que a nossa é muito mais legal.

Audiência-Correios-026-300x200

Atendendo solicitação do vereador Arlindo Rincos, a Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul realizou ontem uma Audiência Pública para discutir a qualidade do serviço e do atendimento dos Correios no município. Temas como atrasos em entregas e a demora no atendimento nas agências foram debatidos pelos demais vereadores, representantes dos Correios e pela população.

Quem veio defender a prestadora de serviço foi sêo Genésio Agenísio da Silva, representante da Central dos Correios de Florianópolis, que apresentou alguns números azedos da estrutura instalada em Jaraguá do Sul. Resumindo Genésio:

Agências dos Correios em Jaraguá do Sul: três
Total de funcionários indoor: 24
Carteiros: 60
Frota: 20 zicas, 39 motos e 10 veículos
Entregas: quase 1 milhão de objetos/mês

Pausa para virar os olhos pro canto superior direito e pensar “É… Eles tão mal…”

Voltemos ao assunto
Genésio afirma que um dos principais problemas enfrentados pelos carteiros para a realização das entregas é o endereçamento incorreto. Os imóveis devem apresentar numeração de forma ordenada, individualizada e única. “Parece simples, mas não é. A população ainda não possui a cultura do endereçamento correto”, comentou. Como dificuldades peculiares em Jaraguá do Sul, o representante citou a numeração irregular nos bairros afastados e a quantidade de cachorros soltos.

Concordo com o homem, mas Genésio, e eu que moro no Centro, com um número gigante na frente do prédio e um porteiro dos mais simpáticos pra pegar correspondência, porque ainda recebo bilhete branco?

By the way, esqueci de ir lá ontem recolher essa bagaça...

By the way, esqueci de ir lá ontem recolher essa bagaça…

Infelizmente esta questão não foi explicada, mas o homem continuou a relatar os problemas. Disse que, principalmente, há a falta de um contrato que vise a manutenção da frota disponível para entregas. “Atualmente trabalhamos com o rodízio de veículos entre os carteiros”, revela. Se essa hora um tiozão levantou lá no fundo e gritou “Isso não é problema meu!”, justiça foi feita.

Mas teve mais
O presidente do Sindicato dos funcionários dos Correios e Telégrafos de Jaraguá do Sul, Claitom Moacir dos Santos, leu no plenário uma carta assinada pelos colaboradores ligados ao sindicato reivindicando a atenção do poder público para algumas dificuldades enfrentadas, como a falta de um concurso público para a contratação de pessoal efetivo, transferência do gestor da unidade, conserto dos aparelhos de ar-condicionado na central, entregas pela manhã e implantação imediata do SD que, segundo Claitom, encontra-se atrasado.

O vereador José Osório de Ávila atentou para a questão salarial dos funcionários dos Correios, a quem se referiu como heróis, que atualmente recebem remuneração inicial de cerca de R$ 1.100. “Este não é um salário digno para comprar uma casa ou um carro, é um salário de sobrevivência”, lamentou, e concordo inteiramente com ele. Tem gente aí que recebe mais de R$ 5 conto por mês e às vezes ainda se dá aumento, porque isso também não é suficiente pra comprar casa ou carro.

A audiência pública contou ainda com a participação popular que colaborou com questionamentos, críticas e sugestões, mas nenhuma foi citada aqui. No final foi sugerido que as solicitações debatidas na noite devam ser encaminhadas à prefeitura e aos deputados estaduais, e seja estudada uma moção direcionada a nossos deputados federais para que a discussão seja levada a Brasília.

Resumindo então, um dia haverá teletransporte, mas até lá suas cartas continuarão “deschegando”.