Por: João Marcos | 5 anos atrás

A Vigilância Sanitária de Jaraguá do Sul autuou na manhã de domingo (26) um estabelecimento da cidade que vende carne temperada. O estabelecimento mantinha as carnes em bandejões de plástico, fora de refrigeração, em temperaturas entre 10 e 15ºC, colocando em risco a saúde dos consumidores. Os 290 kg de carne temperada foram apreendidos e inutilizados na estação de transbordo de lixo, em Nereu Ramos. De acordo com o relato dos fiscais de Vigilância Sanitária, no momento da apreensão, o proprietário não prestou as informações solicitadas e dificultou o trabalho dos fiscais, que chamaram a polícia para poder realizar o trabalho. A fiscalização aconteceu no domingo em dois estabelecimentos que vendem carne na cidade, após denúncias registradas na 7ª Promotoria de Justiça, que tem como promotor Rafael Meira Luz, que solicitou a fiscalização. O primeiro estabelecimento não tinha irregularidades, pois as carnes estavam embaladas, etiquetadas e sob refrigeração.

Seliga nas “peças” pro churras:

Para discutir o assunto estiveram reunidos na Prefeitura de Jaraguá do Sul nesta segunda-feira (27), a equipe da Vigilância Sanitária, o diretor de Vigilância em Saúde, Jackson Jacobi, e o promotor de justiça, Rafael Meira Luz. Durante a reunião, o promotor de justiça, Rafael Meira Luz, ressaltou a importância de os comerciantes manterem as carnes temperadas embaladas, identificadas e refrigeradas sempre, sendo que a carne somente deverá estar fora da refrigeração no momento de temperá-la. Neste caso, o local de manipulação deve possuir refrigeração ou ser minimizado o período de manipulação. “A Vigilância Sanitária vai continuar com as ações de fiscalização, com o objetivo de preservar a saúde da população”, explica a coordenadora da Vigilância Sanitária, Nilceane Aparecida Junkes Costa.

O promotor enfatizou ainda que os proprietários de estabelecimentos devem se adequar até 30 de junho às novas exigências estabelecidas em reunião no dia 2 de maio – que prevê a escolha entre o estabelecimento ser açougue (carne sem tempero) ou entreposto (carnes temperadas), adaptação das instalações físicas com um responsável técnico e assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). Na reunião do dia 2 de maio, na sala de reuniões da prefeitura, estiveram presentes 40 comerciantes de carne temperada.