Por: Ricardo Daniel Treis | 3 anos atrás

Matéria por Heloísa Jahn, para O Correio do Povo:

modasenai01

Todos os sentidos foram, literalmente, colocados à prova e à mostra no projeto elaborado pelos estudantes de Design de Moda do Senai de Jaraguá do Sul. Com o objetivo de desenvolver um espaço comercial que atendesse as necessidades de pessoas cegas e com deficiências visuais, eles utilizaram painéis em braile, com texturas diferentes e até cheiros distintos, para que estas pessoas tenham acesso a informações sobre as características das peças e tendências, por exemplo, e pensaram na funcionalidade do ambiente.

O projeto “Eu entendo, eu escolho” foi aprovado pela Bienal de Design, realizada na última semana, em Florianópolis, e está exposto o Centro Empresarial de Jaraguá do Sul até o dia 12 de julho. De acordo com a coordenadora do curso, Renata Vavolizza, os 22 alunos pensaram em soluções para otimizar o espaço e que contemplasse as necessidades de quem não pode enxergar. “Não é um ambiente voltado exclusivamente para estas pessoas, mas sim que interage com todas as pessoas. Eles procuraram colocar móveis com cantos arredondados, pensaram na funcionalidade do espaço, áudio descrição de peças, por exemplo, e utilização de painéis em braile e baixo relevo”, explica.

Professora Renata explica que acadêmicos aliaram design de serviço, produto e informação na elaboração de uma loja adequada para cegos e deficientes auditivos (Foto: Eduardo Montecino)

Professora Renata explica que acadêmicos aliaram design de serviço, produto e informação na elaboração de uma loja adequada para cegos e deficientes auditivos (Foto: Eduardo Montecino)

No Cejas, estão expostos painéis em braile, recursos de som e um mapa da loja, em baixo relevo, e foram utilizados materiais diferentes para locais que contenham ou não algum tipo de informação, superfícies texturizadas e lisas, por exemplo. “A moda tem muitas informações que são inacessíveis para quem não enxerga, então foi pensada a relação do usuário com o produto e espaço e que ele também consiga ter acesso às informações do que está consumindo”, enfatiza.

modasenai02

A professora conta que a cada semana os visitantes da exposição poderão conferir novas etapas do projeto. “A ideia é de que seja algo colaborativo, então queremos que as pessoas visitem e deem sugestões para melhorar”, diz. Após todo o processo de pesquisa e conceituação do espaço, os alunos começam a trabalhar no protótipo. O projeto será apresentado na Mostra Inova Senai Nacional, em novembro, onde os acadêmicos montarão a loja fisica. Conforme a professora, a intenção também é divulgar o projeto e com isso buscar recursos da iniciativa privada ou de interessados em ter os dispositivos para uso em lojas comerciais.