Por: Isah Sanson | 7 anos atrás

Tatuagem é para algumas pessoas mais que uma arte: um estilo de vida. Em muitos casos é uma marca de superação (porque dói mesmo e não vou bancar a boazuda e dizer que é como passear no parque). É uma maneira de eternizar algo, indiferente do significado. O significado, inclusive, é a questão mais particular da tattoo: para algumas pessoas pode ter o significado do próprio desenho, ou a imagem pode ter sido criada para marcar uma fase, homenagear alguém, etc.

Fato é que a cultura dos desenhos na pele vem aumentando dia após dia. Muito disso se deve a crescente diminuição do preconceito, já que as pessoas estão cada vez mais esclarecidas e compreensivas. Não que não exista, mas se comparado aos anos 60, já podemos nos sentir aliviados em ver que a percepção da tattoo está evoluindo.

E o preconceito não é exclusividade dos anos 60, que foi quando a tatuagem surgiu no Brasil (mais precisamente na cidade portuária de Santos, nas proximidades do cais – onde na época, era zona de boemia e prostituição). Desde que surgiu, entre  4000 e 2000 a.c, no Egito, a disseminação do preconceito era registrado. Na idade média a prática foi banida da Europa pela igreja católica, sendo considerada demoníaca. Em 1879, a tattoo foi adotada pelo governo da Inglaterra como forma de identificação de criminosos. Isso é pra galera ver como o preconceito está “ameno” hoje em dia. A grande maioria das empresas já aceita funcionários com tatuagens, e por muitos a prática já é compreendida como arte e marca de personalidade.

Esse é o infográfico desenvolvido pelo designer polonês Paul Marcinkowski, sobre a tatuagem nos Estados Unidos.

Dá uma olhadinha nos dados expostos:

  • A prática da tatuagem já é comum no mundo todo;
  • Hoje já existem mais de 100 tipos de tintas para serem usadas;
  • 45 milhões de americanos possuem tatuagens (Nos EUA, 24% não possuem tatuagens, 22% possuem uma tatuagem, 18% possuem duas, 18% possuem 3, 11% possuem 4 e 7% possuem mais do que 4);
  • As tatuagens mais populares entre os americanos são as borboletas, o tribal, a estrela e as flores.
  • 7.6 milhões de americanos se arrependem de suas tatuagens. As 3 razões pelas quais as pessoas mais se arrependem são: 1) tatuaram o nome de alguém, 2) não gostam de como a tatuagem parece hoje, 3) é/foi uma tatuagem estúpida.
  • As mulheres são as que mais procuram remover suas tatuagens, em comparação com os homens.


À flor da pele é uma coluna minha que será fixa aqui no blog, sobre tatuagem. Quem gosta do tema pode aguardar que ainda vai rolar muita coisa bacana. Semana que vem vou abordar o motivo “Caveiras”. Quem quiser enviar sua colaboração (foto/sugestão) pode ficar a vontade na caixa de comentários, ok?