Por: Sistema Por Acaso | 24/05/2016

Post publicado originalmente em 10 de julho de 2015

Matéria de Magê Flores, para a Folha de São Paulo:

0,,53112034,00

Chega à quarta edição o “Guia do Barista”, publicação referência para interessados no universo do café.

De forma didática, o guia assinado por Edgard Bressani, especialista no assunto e presidente-executivo do Octávio Café, reúne dicas para o preparo do espresso, informações sobre países produtores do grão, regras de competições internacionais, além de mapas e fotos dos processos que levam à bebida.

“Não é um guia só para baristas, é para apreciadores e apaixonados por café. Da semente à xícara, para que todos possam conhecer o processo e entender o que há por trás do café”, diz o autor.

O livro, lançado nesta terça (26), conta também com receitas de drinques clássicos e criativos com a bebida.

Confira abaixo dicas do autor Edgard Bressani para fazer um bom café em casa.

1. Escolha um pacote certificado
Busque nas prateleiras embalagens de grãos 100% arábica e indicações de que o café é especial, com origem, rastreabilidade e proteção ambiental. Atente para certificações como Utz Certified, Rainforest Aliance e da Associação Brasileira de Cafés Especiais. Bons blends de café costumam custar entre R$ 30 e R$ 60 o quilo.

2. Prefira o café daqui

15146125

Quanto mais recente a torra, melhor. O período entre a torra e o consumo faz com que ele perca sabor. O café importado pelo Brasil já vem torrado. Por isso, prefira o café nacional. Mesmo assim, preste atenção à data de validade –que identifica a idade do café.

3. Armazene em potes herméticos
Em casa, proteja o café guardando o pó (ou grãos) em potes herméticos. Se possível, invista em embalagens que permitem tirar o oxigênio de seu interior (ele oxida o café). Procure um lugar com pequena variação de temperatura e protegido da luz. Ele não deve ser mantido em geladeira por causa da umidade, uma inimiga do café.

4. Moer em casa é o ideal
O café moído na hora é mais rico em aromas. Hoje, o mercado tem muitas opções de moedores caseiros, manuais e elétricos. Um aparelho pode custar cerca de R$ 100. Se o café feito em casa for o coado, é preciso moer bastante o grão, até que fique fino.

5. Use água filtrada ou mineral

15146124

Ao aquecer a água, cuidado para que ela não ferva (fique borbulhando): isso diminui a quantidade de oxigênio e, consequentemente, a intensidade de aromas da bebida. Mantenha a água a aproximadamente 93 ºC.

6. Escalde o filtro de papel

15146122

Compre filtros do tamanho do porta-filtro. Antes de preparar o café, use a água quente para escaldar o filtro –isso tira o gosto de papel que pode ser passado para a bebida. Depois de usar filtros de pano, lave os filtros só com água, para evitar o gosto de produtos.

7. Não compacte o pó
Para fazer o café coado, coloque o pó no filtro de forma uniforme, sem compactá-lo, apertando-o. Molhe as beiradas primeiro e, a seguir, o centro do coador. Depois, direcione a água, em fio, bem no centro.

8. Bom café não precisa de açúcar

15146126

Café de boa qualidade deve mostrar o sabor que tem. Diferentemente do café especial, de torra mais clara, o industrial é muito torrado –uma tentativa de mascarar defeitos na bebida. Por isso, o açúcar se faz necessário: com ele é possível tomar qualquer coisa.

9 – Explore outros métodos

15146121

Hoje o mercado tem disponíveis utensílios para preparar café em casa de outras maneiras. Aeropress, chemex, prensa francesa e mocha são fáceis de usar e o mesmo pó preparado em variados métodos tem sabores diferentes. Vale a pena explorar.

O Guia do Barista, da Café Editora, está a venda no site cafeeditora.com.br por R$ 60.