Por: Izabella Wagner | 2 anos atrás

Báh! Como eu gosto desse assunto! Por quê? Porque, simplesmente, TUDO o que fazemos está ligado a ela! Quando nossa autoestima está em crise, parece que nada o que fazemos é bem feito ou merece crédito, não é verdade? E não adianta os outros elogiarem suas habilidades e características físicas, por exemplo, se você não as enxerga em você.

E você sabe o que é a autoestima?

É a opinião e o sentimento que cada pessoa tem por si mesma. É ser capaz de respeitar, confiar e gostar de si. Melhor caminho para o autoconhecimento: diálogo interno.

Não vou entrar aqui no aspecto de que ela começa a se formar na infância, a partir de como as outras pessoas nos tratam. E quando criança pode-se alimentar ou destruir a autoconfiança, pois a autoestima baixa geralmente está relacionada a falsos valores. Esse papo todo é com os terapeutas, psicólogos, psiquiatras que entendem do assunto.

O fato é que as características da baixa autoestima são (veja se você se identifica com um ou mais desses itens):

– Insegurança;
– inadequação;
– perfeccionismo;
– dúvidas constantes;
– incerto do que se é;
– sentimento vago de não ser capaz de realizar nada >> depressão;
– não se permite errar;
– necessidade de agradar;
– aprovação;
– reconhecimento.

E tem mais: o que vem a diminuir a nossa autoestima?

– Críticas e autocríticas;
– culpa;
– abandono;
– rejeição;
– carência;
– frustração;
– vergonha;
– inveja;
– timidez;
– insegurança;
– medo;
– humilhação;
– raiva;
– e, principalmente: perdas e dependência (financeira e emocional).

E você, já percebeu que quando a gente não se sente bem temos o costume de potencializar um determinado defeito de maneira tão intensa que ele acaba generalizando seu descontentamento? O problema deixa de ser o quadril, o cabelo ou o nariz e passa a ser o corpo todo. Junto com essa baixa autoestima vem o sentimento de menos valia, um mal-estar que vai contaminando todos os setores da vida, comprometendo até mesmo o rendimento no trabalho ou nos estudos.

Só que a gente sabe que a beleza não é determinante para o sucesso profissional e na vida. Ele costuma se fazer presente quando você aprende a utilizar o que tem de melhor dentro de si.

Se você não gosta do seu quadril, mas acha que seus olhos são bonitos, então invista numa maquiagem que os potencialize. Tem um sorriso bonito? Mostre-os para as pessoas. É simpático(a)? Apresente essa qualidade para quem está ao seu redor. Foque sua energia naquilo que lhe faz se sentir bem.

GIF AUTOESTIMA

Há uma grande diferença entre se sentir bem para os outros e se sentir bem para si. Quando a gente se olha no espelho e se sente bem, não fica preocupado com o que o outro vai pensar. Mas, a partir do momento em que a gente age para agradar ao outro, se descaracteriza e perde suas referências. É preciso achar um equilíbrio. Caso contrário a gente se afasta da nossa verdade, da nossa personalidade e isso é péssimo.

Tá! E o que é preciso para elevarmos nossa autoestima, então?

  1. – Autoconhecimento;
  2. – manter-se em forma física (gostar da imagem refletida no espelho);
  3. – identificar as qualidades e não só os defeitos;
  4. – aprender com a experiência passada;
  5. – tratar-se com amor e carinho;
  6. – ouvir a intuição (o que aumenta a autoconfiança);
  7. – manter diálogo interno;
  8. – acreditar que merece ser amado(a) e é especial;
  9. – fazer todo dia algo que o deixe feliz. Pode ser coisas simples como dançar, ler, descansar, ouvir música, caminhar.

E o resultado disso tudo?

– Mais à vontade em oferecer e receber elogios, expressões de afeto;
– sentimentos de ansiedade e insegurança diminuem;
– harmonia entre o que sente e o que diz;
– necessidade de aprovação diminui;
– maior flexibilidade aos fatos;
– autoconfiança elevada;
– amor-próprio aumenta;
– satisfação pessoal;
– maior desempenho profissional;
– relações saudáveis;
– paz interior.

Colocou todas essas dicas em prática e mesmo assim não se sente melhor?

Primeiro: Talvez seja hora de buscar ajuda. Não tenha vergonha de procurar um terapeuta comportamental. Ele vai lhe ajudar a entender a causa dos problemas, para que você possa se fortalecer e elevar sua autoestima.

Segundo: cola aqui nas colunas semanais! Vamos estar trazendo matérias super bacanas para te dar uma forcinha no quesito autoestima.

E você vai adorar! Garanto 😉