Por: Tita Pretti | 3 anos atrás

Sabe aquelas fotos de cãezinhos e gatinhos que encontramos na timeline das redes sociais ou então estampadas nos jornais para adoção?

Confesso que não consigo ver essas fotos sem ter uma vontade maluca de levar todos pra minha casa, mas infelizmente, não tenho condições pra isso. E toda vez fico pensando: de que forma posso ajudar?

Muitas pessoas acham que para as associações de animais, a única ajuda bem-vinda é a adoção ou doação de dinheiro. Mas existem outras formas (bem criativas) de fazer o bem pros bichinhos…Confira aqui 7 delas:

1 – Divulgação gratuita am-640-bichos-cartaz

Quanto custa para compartilhar no Facebook, Pinterest, Twitter e outras redes sociais a fotografia de um bichinho que está procurando um lar? Nada além de tempo, não é mesmo? Além disso, você pode ajudar distribuindo cartazes e panfletos sobre eventos ou fotos de animais para adoção em clínicas veterinárias, lojas de produtos para animais, parques, entre outros.

2 – Eventos para arrecadar dinheiro

Vai fazer uma confraternização com a galera? Então aproveita que essa é uma boa oportunidade pra arrecadar dinheiro para ajudar os bichinhos. A sua festa de aniversário, casamento, encontro de amigos são alguns dos momentos em que você pode pedir aos seus conhecidos e familiares que levem materiais ou dinheiro para doar a uma associação.

3 – Transportar animais

Tem um carro? Então você talvez consiga ajudar, sem precisar adotar um bichinho. Em muitos casos, os protetores precisam transportar os animais para consultas no veterinário ou para levá-los ao novo lar. Quando você se dispõe a ajudar transportando os animais, os voluntários podem agilizar o processo de adoção.

DeeDee_DogTag_03_Resized

Tá vendo essa foto aqui emcima? Fica o alerta: saiba que o Código Brasileiro de Trânsito vê essa situação como infração média, e o motorista pode receber uma multa no valor de R$ 85,13 e punição de 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Então se o seu cachorro adora colocar a cabeça pela janela, saiba que você pode levar uma multa por isso. Além de evitar multas, o transporte correto garante a segurança dos animais de estimação em eventuais freadas bruscas ou acidentes. Saiba os tipos de transporte indicados:

Cintos de segurança – garante a segurança do animal em um acidente de carro, porque o deixa preso ao banco traseiro. Os cintos podem ser adaptadores presos às coleiras peitorais ou apenas de encaixe ao cinto de segurança do carro.

Caixas de transporte – devem ser resistentes e espaçosas de acordo com as medidas do animal. O ideal é que seja ventilada, com trava para fechamento das portas e alça para transporte.

Cadeiras e assentos – ideal para animais de pequeno e médio porte. Os animais são transportados em cadeiras específicas e preparadas para serem utilizadas com coleira do tipo peitoral.

Grades de contenção – são divisórias de metal que servem para limitar a circulação do animal no automóvel, podendo ficar no centro (entre os bancos dianteiros), laterais, que impedem o animal de sair pela janela, e os traseiros, que restringem o espaço do animal no banco de trás. Apesar das grades possibilitarem ao animal se movimentar e consequentemente, ficar mais à vontade, elas também podem machucar o animal em uma freada brusca, já que ele está “solto” e pode ser jogado contra a grade.

4 – Passear e dar carinho

passear-com-cachorro-estimule-o-cao
Os protetores de animais geralmente acolhem provisoriamente mais de um bicho em suas casas e, na correria para buscar um lar definitivo, acabam não tendo muito tempo para socializar com eles e levá-los para um passeio. Quem sabe essa é uma maneira divertida de ajudar os cães, não é? Tire um dia (ou mais) da semana para oferecer seu tempo a essa atividade.

Garanto que vai fazer muito bem pra sua saúde e a dos cães também. Se você é mais chegado em gatos, a premissa é a mesma: eles também precisam de carinho, brincadeiras e interação. Tudo isso ajuda e muito no processo de adoção, já que o bichinho chegará na nova casa feliz, saudável e interagindo com a nova família.

5 – Doação de materiais

Na próxima visita ao supermercado, que tal comprar um pacotinho de ração para doar a uma associação? Além de comida, brinquedos, tapetes e areia higiênica para gatos também são bem vindos. Se não tiver o dinheiro para comprar, dá uma olhada em casa pra ver se não tem potinhos para ração e água, caminhas, almofadas, toalhas, travesseiros, cobertores, roupa de cama (podem ser usados). Quem tem ou já teve animais pode doar remédios que sobraram, coleiras e guias. A regra é: se houver alguma coisa que você não precise mais em casa, pense se não pode ser útil a uma associação de animais.

6 – Usar seus talentos especiais

Tem jeito para costura? Crie brinquedos caseiros ou mantinhas usando camisetas, jeans ou cobertores antigos. Você é um advogado ou contador? Dá pra ajudar as associações a deixar todos os procedimentos organizados e dentro da lei. Sabe fazer lanches gostosos? Dá pra ajudar os voluntários em dias de feirinhas de adoção proporcionando uma refeição gostosa. Tem uma câmera fotográfica? Ajude a divulgar os animais que estão para adoção. É um expert em internet e redes sociais? Ajude a disseminar as informações sobre eventos e adoções. Tem algum outro talento? Pense em como você pode ajudar…todo o esforço é válido e toda ajuda é sempre bem vinda.

PASSO-A-PASSO-CAMA-PARA-CACHORRO
7 – Prover um lar temporário

Se você não tem condições de adotar um cão ou gato, mas tem espaço em casa para acolhê-los por alguns dias, uma dica é oferecer um lar temporário. Depois de vacinados, chipados e vermifugados, os animais podem ser acolhidos na sua casa enquanto esperam por um lar definitivo.

Aqui na região, existem algumas associações e protetores independentes que podem indicar quais os tipos de ajuda que eles mais precisam. Veja algumas delas:

– AJAPRA: Tem site e página do Facebook.
– Focinhos Carentes: Tem site e página do Facebook.
– Adoção e Doação de animais, Jaraguá do Sul e região: tem página do Facebook.
– Rute Feliciano: protetora independente, veja o perfil do Facebook.
– Kelly Puccini: protetora independente, veja o perfil do Facebook.