Por: Carlos Wagner | 3 anos atrás

Matéria por Luciana Galastri, para a Revista Galileu:

bill_gates_wef_2009_davos

Todos os anos, o co-fundador da Microsoft libera uma lista de ‘leituras para o verão’ no seu blog, GatesNotes. “Este ano decidi escolher algumas leituras mais leves. Cada um desses livros me fez rir, ou pensar, ou os dois”.

Confira, a seguir, a lista:

1. Hyperbole and a Half, de Allie Brosh (sem tradução para o português)
“As aventuras que ela conta aqui acontecem dentro da sua cabeça, onde ouvimos e vemos o tipo de pensamento que a maioria de nós é muito tímido para compartilhar. Você vai acabar com o livro em, no máximo, três horas. Mas você vai desejar que ele tivesse durado mais, porque é extremamente engraçado e inteligente”, escreve Gates.

2. A magia da realidade, de Richard Dawkins
“Esse livro é tão acessível quanto a série “Cosmos” para os mais jovens – mas também relevante para os mais velhos. É um livro de ciências empolgante e bem ilustrado, que oferece boas respostas para grandes perguntas como ‘como o universo se formou?’ e ‘o que causa terremotos?’. Também é um pedido para que leitores de todas as idades analisem mistérios com curiosidade e rigor”.

3. E se?, de Randall Munroe
“Pessoas mandam perguntas de todos os campos da ciência para Munroe: física, química, biologia… as explicações do autor são engraçadas, mas a ciência que as apoia é muito precisa. É uma leitura bacana e você também vai aprender um pouco sobre balística, DNA, os oceanos, a atmosfera e raios”.

4. On Immunity, de Eula Biss (sem tradução para português)
“Biss, palestrante universitária, examina o que há por trás do medo que pessoas têm de vacinar seus filhos. Como muitos de nós ela conclui que as vacinas são seguras, eficientes e quase milagrosas para proteger crianças. Mas ela não demoniza as pessoas que pensam diferente”.

5. Como mentir com estatística, de Darrell Huff
“Foi publicado em 1954, mas fora alguns exemplos (faz um bom tempo desde que o pão custava 5 centavos nos EUA), ele não parece datado. Um capítulo mostra como recursos visuais podem ser usados para exagerar tendências e fazer comparações distorcidas – uma lembrança útil para se ter quando infográficos pipocam no seu feed do Facebook ou do Twitter”.

6. Should we eat meat?, de Vaclav Smil (devemos comer carne? – ainda sem tradução em português)
“Vaclav Smil nos oferece um olhar claro sobre todo o cenário, desde o papel da carne na evolução humana até sobre questões complicadas em relação a crueldade animal. Um livro bacana para nossa época, mas talvez a leitura menos leve da lista”.

Veja aqui as indicações de Gates de 2014.