Por: João Marcos | 2 anos atrás

Vou começar o post direto com esse trailer aqui, que se não for o suficiente pra te dar vontade de assistir a série, eu não sei o que pode:

Na última sexta-feira, dia 28, a Netflix disponibilizou todos os 10 episódios da primeira temporada de Narcos no streamming online. Logo, posso garantir que eu fui um dos milhares de brasileiros que ficou vidrado e não sossegou enquanto não terminou todos de uma vez (e aí ficou choramingando na segunda-feira o fato de ~ter acabado rápido demais~).

Façamos uma conta rápida, 10 episódios de 50 minutos = 500 minutos.

500 minutos / 60 = 8h33

Ou seja, dediquei oito horas e meia (um dia de trabalho, sem esforço eu sei, mas foram 8 horas e meia) do meu final de semana para assistir a série inteira e poder escrever esse post, então prestem atenção no que eu vou falar:

1 – Narcos não é apenas sobre Narcotráfico
Escrita por um timaço liderado por Chris Brancato, e dirigida por José Padilha (aquele cara do Tropa de Elite), a peça ficou sensacional. A série vai muuuito além de toda a treta colombiana entre Escobar, cocaína e governo.

narcos (1)

Ela fala dos decisivos anos 80, em que se viu a Queda do Muro, a luta revolucionária e a onda de moralização da era Reagan contra o comunismo – inclusive tentando associá-los ao tráfico de cocaína (na série mostra o quão absurdo era essa tentativa).

2 – A série mostra que o Robin-Hood também pode ser +18
Listado na Forbes em 1987 como um dos homens mais ricos do mundo, o império de Scobar é mostrado e exaltado durante quase todo tempo. O traficante vivia fazendo eventos onde reunia a população dos lugares mais carentes de sua cidade para distribuir dinheiro, financiar casas, montar times de futebol… Sempre visando algo maior, seu grande sonho era presidir o país.

narcos

Mas como ele fazia pra arrumar tanta grana? Atentados à bomba, assassinatos, raptos, estupros, compra de apoio político… Ainda hoje a figura de Pablo Escobar divide opiniões e classes na Colômbia, o que reforça ainda mais a lenda em torno do nome.

3 – São brasileiros fazendo bonito fora do país
Tanto Padilha quando Capitão-Nascimento-Wagner-Moura já fizeram filmes em Hollywood, são contratados e reconhecidos no mundo todo. Mas vê-los juntos mais uma vez mexe com o ego do brasileiro.

NARCOS S01E01

 

É um sentimento de orgulho ver algo assim rolando. Os latinos reclamaram muito do espanhol de Wagner no filme, não por estar errado, mas muito pelo sotaque, o que é até normal.

Imaginem só uma série sobre o Fernandinho Beira-Mar interpretado por um espanhol? Se já é foda um paulista fazer sotaque de carioca, imagina pra um gringo! Mas irmão, meu post aqui é para brasileiros, e o que eu posso dizer para os caras é simplesmente:

fodase

Já sabe né?

4 – Plata o plomo?
A câmera é ágil, o texto é rápido e os acontecimentos se atropelam. Você pode até não se interessar pela história, não criar empatia com nenhum personagem ou não aguentar mais ver montes e montes de cocaína a cada porção de minutos, mas não vai poder dizer que Narcos é entediante.

2142388

O sangue jorra na tela, e pra quem curte ação, mêos amigos, é prato cheio!

5 – Pra ser mocinho também tem que afundar o pé na lama
Narcos deixa isso bem claro na relação EUA x Colômbia, DEA x Informantes, Escobar x A Porra Toda. Ninguém é santo, todo mundo tem o rabo preso em algum lugar e caras, a forma como trabalharam esses desdobramentos, é simplesmente sen-sa-ci-o-nal.

Pra encerrar eu coloco essa foto aqui do Pablo Escobar descendo dum avião com a turma do Chaves:

chespirito-escobar-falso

Mintiiiiiiiiira. A foto é falsa tio, óae a original:

chespirito-escobar-verdadeiro

A suposta história por trás da imagem é que o grupo de atores mexicanos viajou até a Colômbia em um avião privado para participar da festa de aniversário de Manuela Escobar, filha do traficante. No entanto, a foto é falsa. A imagem original, que circula desde 2011 na internet, foi manipulada, de forma que o rosto de Escobar foi incluído para enganar as pessoas.

De acordo com Edgar Vivar, em entrevista à Rádio Fórmula, o homem na foto original era o trompetista que acompanhava o elenco nas turnês pela América Latina.

Enfim, whatever! Vão lá e assistam. Vale a pena, e o primeiro mês de Netflix é gratuito, hehe.