Por: André Marques | 14/10/2014

Ultimamente tem se ouvido falar muito no ebola e a possibilidade dele se espalhar pelo globo.

Já sabemos que entre os sintomas estão febre, dor de cabeça, fraqueza, calafrios e dor de garganta e também é conhecido que trata-se de uma doença que ainda não tem cura.

Confira a seguir 5 informações que você provavelmente desconhecia até agora sobre o ebola:

13180643488789

1 – Ele é uma espécie de zumbi

Para ser considerado um organismo vivo existe algumas coisas que o organismo deve cumprir (se alimentar e se reproduzir sozinho, por exemplo). O ebola precisa invadir as nossas células para poder fazer isso e sobreviver.

Outra fator é a capacidade de metabolizar sua própria energia, coisa que o vírus em questão também não consegue fazer sozinho. O Ebola não está vivo nem morto, mas possui um genoma com uma impressionante capacidade de replicação e intenções muito longe de boas.

13180701319790

2 – Operação militar

O Ebola causa caos em nosso organismo, ele para a atividade de uma substância que é responsável por ‘avisar’ nossas células de que o organismo precisa ser defendido. Com isso, nossa imunidade simplesmente deixa ‘tudo passar’ e o ebola invade nossas células para produzir mais de si mesmo. Depois de algum tempo a partir disso, as hemorragias começam.

13180721365792

3 – Ninguém sabe direito como começou a infectar humanos

Os humanos não são hospedeiros naturais do vírus e sim os morcegos-da-fruta, como acreditam os epidemiologistas. Esses morcegos podem transmitir o vírus a outros pequenos mamíferos. Pesquisadores acreditam que macacos tenham sido a ponte da transmissão para humanos.

13180737417793

4 – Não é a primeira vez fora da África

Sudão, Taï Floresta, Bundibugyo, Zaire e Reston, o Ebola é nomeado conforme a sua localidade de infeção. Reston é uma cidade do estado de Virginia, nos EUA e até agora havia sido a única infecção em território americano.

13180758384795

5 – Investigação de infecção

Quando alguém é infectado, todas as pessoas que entraram em contato com o indivíduo precisam ser localizadas e colocadas em observação, todos que não mostrarem sintomas em até 21 dias serão liberados. Caso algum demonstre, todas as pessoas que entraram em contato com esse segundo indivíduo teriam de ser localizadas e colocadas também em observação, o que implica em uma verdadeira caçada, estilo CSI.

via Mental Floss