Por: Gabriela Bubniak | 2 semanas atrás

Tudo tem evoluído tão rápido ultimamente, que algumas coisas que costumávamos usar muito, simplesmente deixaram de fazer parte das nossas vidas. O mais impressionante é que nem sabemos ao certo quando isso aconteceu.

E olha que são coisas simples, se formos parar para pensar. Em uma conversa rápida aqui no QG, fizemos uma listinha do que ainda encontramos aqui na cidade, mas que ninguém mais usa. Olha só:

1. Orelhão

Nossa lista está em ordem alfabética, mas fizemos questão de colocar esse item no topo. Afinal, quem usa orelhões hoje em dia, sendo que todo mundo tem celular? Os telefones públicos já estão quase sem uso, mas mesmo assim estão por aí, à disposição de alguém que precise.

Olha só, apenas o Estado de Santa Catarina, conta com 28.541 orelhões (no Brasil o número pula para 776.838). Mas e em Jaraguá?

Temos 652 orelhões, dos quais 610 estão disponíveis para uso e 42 em manutenção. Os números são do serviço “Fique Ligado” da Anatel. Clique aqui para saber onde eles estão e quais funcionam ou não.

Pergunta nostálgica pra vocês: quem lembra dos telefones públicos no shopping? Ficavam perto dos banheiros (os principais).

2. Envio de cartas

Por mais que ninguém mais precise se comunicar por cartas hoje em dia (internet tá aí, né, gente?), fazer envio de cartas ainda é possível! Afinal, os Correios ainda trabalham a todo vapor, entregando encomendas por todo o Brasil, olha que muita gente ainda prefere receber os boletos em casa, viu?

E se procurar bem, muitas papelarias ainda vendem envelopes e papéis especiais para carta.

3. CDs e DVDs

Ahhh, o pen drive! Que invenção incrível: é pequeninho, fácil de guardar e cabe muito arquivo dentro dele. Além disso, estão à venda por preços super acessíveis nas lojas. Mesmo assim, muita gente ainda opta por gravar CDs e DVDs.

E não é zoeira! Dia desses dei uma passadinha na Americanas aqui da cidade, e encontrei um estoque de discos gravados (músicas e filmes) e também dos vazios que são graváveis.

Mas isto pode ser só uma questão de tempo, afinal quase nenhum computador mais vem com drive de leitura para CD e DVD instalado.

4. Lista telefônica

Outra vítima dos avanços das tecnologias é a lista telefônica. Já foi muito útil, e ajudou muita gente a encontrar o que precisava, mas agora praticamente tudo é possível encontra pelos buscadores na internet.

5. Videolocadora

Se a internet veio para acabar com a distância entre as pessoas, também veio para acabar com o comércio de aluguel de filmes e séries. As famosas e antes muito requisitadas videolocadoras, acabaram. Quem precisa delas quando não precisa mais sair de casa para escolher o filme que quer assistir, sem data de devolução ainda?

Por um lado era bom, afinal, era quase um evento ir até uma videolocadora, todo mundo queria dar seu pitaco de qual filme seria melhor. Quem nunca passou horas escolhendo filmes pra ver com a família ou os amigos?

O mais impressionante é que ainda existem videolocadoras aqui na cidade. Eu consigo lembrar de uma: A Matrix, ali no bairro Vila Nova.

Clique na imagem para acessar a localização no Google Maps.

BÔNUS!

Saindo um pouco da ‘esfera Jaraguá’, existem outras coisas que faziam parte das nossas vidas, ainda funcionam, e poucas pessoas usam.

Mensagem de texto

Antes do WhatsApp, muitos já gastaram uma grana federal enviando mensagens de texto pelo celular. Mesmo assim, no fim das contas, acabava saindo mais barato do que fazer uma ligação.

Mas não posso dizer que esse serviço é totalmente inútil hoje em dia, afinal se ficar sem internet, uma opção prática para se comunicar por texto é via SMS (Serviço de Mensagens Curtas, em português). E olha que de vez em quando a gente, aqui do QG, usa ainda! 😛

Mimeógrafo

Alguém aí já fez uma prova impressa no mimeógrafo? Dá pra sentir o cheiro do álcool só de lembrar. Era o típico “cheiro de dia de prova”, ou o “dia do tô ferrado”. Né, não?

Ele foi um dos primeiros sistemas de cópias em série utilizados no ensino. Funcionava da seguinte forma: posicionava-se a página que queria copiar sobre o papel estêncil e traçava por cima os contornos dos caracteres. Aí era só colocar o estêncil no mimeógrafo com folhas em branco e girar a manivela.

Webcam

Por mais que seja uma tecnologia mais recente, ninguém mais (ou quase ninguém) tem uma webcam em casa. Afinal, os notebooks já vêm com câmera integrada, e as pessoas têm preferido fazer chamadas em vídeo através do celular.

Inclusive, tem como colocar uma câmera profissional conectada a um computador e fazer a transmissão por ela. Claro que as webcams evoluíram e não transmitem mais aquelas imagens horríveis e granuladas, mas, mesmo assim, acaba não sendo mais o objeto de desejo da galera que tem computadores.

A pergunta que não quer calar: quando foi a última vez que vocês usaram qualquer uma dessas coisas?

E se acha que tem algo faltando nessa listinha, fala pra gente, manda uma mensagem ou interaja na nossa caixa de comentários no Facebook. 😉