Por: Izabella Wagner | 2 anos atrás

Pessoal, hoje o assunto é sério! Ando meio revoltada e resolvi dividir isso com vocês. Sabem por quê? Porque estou cansada de ser encarada como um verdadeiro ET por algumas pessoas! O motivo? Fazer minha própria comida! Tô sofrendo bullying! E não estou brincando!

Faço das palavras do médico Dr. José Carlos Souto as minhas:

“No mundo em que vivemos, cozinhar é um hábito quase subversivo.”

E as justificativas para isso são as seguintes:

RAZÃO NÚMERO 1

“Nossa! Você faz tantas coisas gostosas! Como eu gostaria de ter TEMPO para fazer isso!”

Gente, eu não sou uma desocupada! E mesmo que fosse (não tenho nada contra quem seja, que fiquei bem claro!) conheço muita gente que tem tempo sobrando e mesmo assim reclama que não tem tempo para cozinhar!

Como tudo na vida, tempo é questão de PRIORIDADE, ORGANIZAÇÃO e PLANEJAMENTO. Tenho casa, marido, filhos, trabalho, logo em breve um cachorro 😉 e recentemente resolvi voltar a estudar. É bastante coisa para dar conta como qualquer mortal.

Para essas pessoas só tenho uma coisa a dizer: comece a perceber quem são seus “ladrões” de tempo. Celular, novela, facebook… são tantos. A gente sabe. Bem melhor ficar de conversê no whats do que encarar o fogão. Tudo bem! Sem problema algum. Então ao invés de dizer que não tem tempo, diga: “Tenho tempo para cozinhar, mas minha opção é _____________”. Ok?

RAZÃO NÚMERO 2

“Eu até tenho tempo, mas NÃO SEI cozinhar.”

Bom, deixa eu contar uma coisinha para vocês: quando comecei, mal sabia fritar um ovo! Sabe aquela velha história de que a prática leva à perfeição? Se aplica também aqui. Foram taaaaantos erros… Muita dó de jogar ingredientes no lixo. Mas como consegui? Persistindo! Garanto que você não desiste de coisas importantes na sua vida na primeira dificuldade. Porque se você faz isso, revise se realmente a questão é relevante. Ok?

RAZÃO NÚMERO 3

“Tenho tempo, sei fazer algumas coisas, mas NÃO GOSTO DE COZINHAR!”

Ah! Meu bem… aí o buraco é mais embaixo. Tá certo, você não gosta. Mas vamos fazer uma listinha de coisas que você também não gosta, mas faz porque são IMPORTANTES? Por exemplo: eu não gosto de acordar assim que o despertador toca, mas é preciso, não é mesmo? Caso contrário meu dia viraria um verdadeiro caos. Não concorda comigo?

Bom, a lista seria bem grandinha. Tanto para mim como para você. E o que cozinhar tem a ver com isso? Tem a ver com seu bem maior: a sua SAÚDE. Quando você cozinha se torna muito mais consciente em relação a comida. Escolhe melhor, pesquisa, torna-se mais seletivo.

Bom gente, nem vou entrar aqui no quesito de socialização, amor e muitos outros que o ato de cozinhar nos traz. Com certeza você já vivenciou um momento bacana com os amigos ou parentes na cozinha. Um bom papo e muitas risadas. “Mas Izabella, a gente faz isso quando tem tempo!” Volte lá para cima na razão número 1!

Também não quero que vocês pensem que vivo na cozinha! Claro que não. Eu, meu marido e meus filhos almoçamos todos os dias na cantina da escola, por exemplo. Que fica sob a batuta da Dona Olívia, uma cozinheira de mão cheia! 😉

Mas vamos equalizar isso tudo aí? Que tal o café da manhã, os lanches e o jantar serem feitos em casa? E “marmitados” no trabalho, na escola, no carro? Que tal visitar mais frequentemente a verdureira/quitanda mais perto de sua casa? Que tal menos mimimi e encarar positivamente a cozinha? Uma coisa eu te garanto: você vai descobrir que ela é o coração de seu lar! <3


Quer ver como em passos simples, você faz uma sopinha maravilhosa, super nutritiva e com cara de feita pelo “chef”? E de quebra aproveita o friozinho…

1 – Faça um caldo de carne. (Como eu fiz: coloquei um pouquinho de óleo de coco numa panela de pressão. Coloquei uma cebola picadinha. “Fritei” rapidamente os 2 lados de uma peça de paleta. Cobri com água, tampei a panela e assim que subiu a pressão, cozinhei por 20 minutos em fogo baixo. Desliguei o fogo e esperei a pressão sair. Separei o caldo da carne. A carne sempre desfio e deixo na geladeira para outras receitas. Mas se você quiser pode desfiar e colocar na própria sopa!

2 – Pegue uma abóbora (Cabotiá, mas você pode usar àquela de sua preferência), fure com o garfo em alguns lugares e coloque no micro-ondas por 8 minutos aproximadamente (cada micro tem seu “jeitinho”. E sim! Esse é o melhor jeito de descascar abóboras, sem perder um dedo!) Espere esfriar um pouco e descasque como se fosse uma maçã! Abra e tire as sementes raspando com uma colher.

3- Coloque o caldo de carne no liquidificador.

1463575503924

4 – Coloque a abóbora em pedaços (que já estava bem cozida por causa do micro-ondas).

1463575539709

5 – Despeje o conteúdo já processado numa panela e acerte o sal. Você pode acrescentar a “carninha” que você desfiou ou um queijo colonial picadinho, cebolinha picada… fica a seu gosto! Como eu tinha batata doce roxa, acrescentei uma rodelas. Não ficou lindo esse laranja com roxo?? 😉

1463575589133

6 – Pronto! Não gosta de abóbora?? Corre lá no meu insta @izabellawagner e escolhe a receita que você quiser 😉

1463575736704

7 – Bon appétit! 😀