Saiba o que fazer caso seu cão ou gato tenha sido envenenado

Na última semana a Ajapra (Associação Jaraguaense Protetora dos Animais) informou que o bairro Amizade, em Jaraguá do Sul, estava sofrendo com casos frequentes de envenenamento de cães e gatos.

Após lançarmos um chamado para ouvir os relatos de vítimas na cidade, percebemos que esses casos não estão restritos a apenas um bairro, já que pelo nosso levantamento, pelo menos oito já sofreram com casos de envenenamento nas últimas semanas.

Os casos são diversos, mas todos têm em comum a crueldade do criminoso e a profunda tristeza dos tutores que perderam seus animais de forma tão dolorosa. Caso você também tenha sido vítima ou apenas seja um proprietário preocupado com a preservação de seu amiguinho, confira com atenção este artigo, ele traz basicamente tudo que você precisa saber sobre o caso.

Como identificar o envenenamento

Segundo o veterinário da Doctor Pet, Marcos Martinelli, é possível perceber uma diferença no comportamento do animal, que vai variar conforme o veneno ingerido. Alguns dos sintomas podem ser vômito, diarreia, hipersalivação, irritação nos olhos e/ou pele. “Além disso, o animal fica mais ‘caído’, sem muito ânimo”, alerta.

cao_doente

Fique atento a estes sinais:
– Alteração do estado de consciência (agitação, sonolência, e até coma) ­
– Sintomas gastrintestinais (salivação intensa, vômitos, náuseas, dor abdominal) ­
– Hemorragias ­
– Tremores ­
– Dificuldade respiratória ­
– Alteração de ritmo cardíaco

Caso haja suspeita de envenenamento criminoso, procure se não encontra em sua propriedade algum objeto ou alimento que não foi dado por você. Envenenamentos ainda podem ser de outras espécies, então também preste atenção se está faltando algum produto da dispensa (produtos de limpeza, inseticidas, etc.), se há plantas arrancadas ou destruídas no jardim (quase todas as plantas ornamentais são tóxicas, ex: comigoninguém­pode, samambaia, copo de leite, bico de papagaio, coroa de cristo, entre outras), se houve dedetização do ambiente ou aplicação de agrotóxicos no jardim.

Como proceder

O veterinário explica que em alguns casos é indicado provocar o vômito no animal, porém fique atento: se o envenenamento aconteceu há cerca de 30/40 minutos, essa atitude não é indicada. “Provocar o vômito depois deste tempo pode prejudicar ainda mais o seu pet”, afirma.

Portanto, se você identificar que o envenenamento aconteceu há poucos minutos, uma alternativa é fazer com que o animal ingira até 8 ml de água oxigenada volume 10.

Como evitar

Martinelli explica que esse tipo de caso é difícil de controlar. “Alguns cães são treinados para não comer nada além da sua ração, mas muitas vezes o veneno vem em forma de petiscos”, alerta.

Iscas de carne impregnadas com o popular raticida "chumbinho" / Foto: Miller Mesquita, reprodução, Facebook

Iscas de carne impregnadas com o popular raticida “chumbinho” / Foto: Miller Mesquita, reprodução, Facebook

Outra dica é manter o animal por perto e em qualquer situação levar o pet o quanto antes para o veterinário.

Essa atitude ajudou a salvar a gata de Flávia Zandoná, que foi envenenada há dois meses no bairro Jaraguá Esquerdo. “Felizmente nós conseguimos socorrer ela a tempo, pois levamos ao veterinário o mais rápido possível”, relembra.

Tipos de venenos

Nos casos de envenenamento criminoso, os venenos variam bastante. Os mais comuns são os raticidas ou pesticidas, mas segundo o veterinário, há coquetéis preparados só para matar o animal. “O veneno é rápido, em dez ou quinze minutos já atingiu o corpo do animal”, explica. “O veneno pode atingir o fígado, rins ou até causar hemorragia”, finaliza.

Raticidas são facilmente identificáveis pelo formato de seus grãos e cores berrantes. Fique atento a vestígios que possam ser encontrados em caso de suspeita de envenenamento.

Raticidas são facilmente identificáveis pelo formato granulado e cores berrantes. Fique atento a vestígios que possam ser encontrados em caso de suspeita de envenenamento.

Mapa de casos de envenenamento criminoso em Jaraguá do Sul

Abaixo você encontra mapeados os endereços de alguns dos relatos que recebemos, clique na seta para iniciar a navegação. Fique atento à sua vizinhança, e caso você tenha alguma informação para compartilhar ou denúncia para fazer, não hesite.


Os casos de envenenamento de animais se enquadram no Artigo 32, da Lei de Crimes Ambientais, número 9.605/98:

Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

Conforme o Sargento do 14º BPM de Jaraguá do Sul, Luiz Antonio Wiltner, se a pessoa que praticar este ato for pega em flagrante ela é detida e conduzida até a delegacia.

Caso o crime já tenha acontecido e algum policial do Batalhão for chamado, é realizado um Boletim de Ocorrência, que será encaminhado para a delegacia. “Se o crime já aconteceu, a pessoa pode ir até a delegacia e registrar o fato e tratando-se de um crime, a investigação compete a delegacia também”, explica.

O telefone para contato é o 47 3276 9100.

Fato recente: Homem é multado em R$ 6 mil por envenenar cão com chumbinho.

O que a Prefeitura pode fazer

A Prefeitura de Jaraguá do Sul conta com um setor de Zoonoses para lidar com casos de maus-tratos de animais na cidade.

Nestes casos, quando o animal não tem dono e for encontrado na rua, o setor faz o recolhimento, trata e se tudo ocorrer bem leva para adoção. O indicado é não tirar o animal do local.

Denúncias podem ser registradas pela Ouvidoria da Prefeitura, que encaminha para o setor. O telefone é 0800-6420136.

Deixe seu comentário