18 Pessoas que mudaram a história de Jaraguá do Sul

Artigo publicado originalmente em janeiro de 2015, por Márcio Batista Martins.

Você pode não saber, mas todos nós temos uma ligação com quase todas essas pessoas. Certeza que não são os únicos, mas criaram histórias que permanecem vivas. Todos nós temos uma ligação com quase todas essas pessoas, seja por assistir a um jogo do Juventus, almoçar no Parque Malwee ou Arweg, estudar na Católica de Santa Catarina, etc.

Padre Elemar Scheidt

elemar

Foi o incentivador e um dos fundadores da Fundação Educacional de Jaraguá do Sul (Ferj) e seu primeiro reitor. Foi dele a iniciativa de fundar uma mantenedora de ensino superior em Jaraguá do Sul. Em 1973, com apoio de outras lideranças, foi instituída a Ferj, através da Lei Municipal 439/73, de 31 de agosto. O primeiro curso oferecido foi de Estudos Sociais, em 1976.

Padre Elemar foi também um dos fundadores do Grêmio Esportivo Juventus. O Clube foi fundado em 1º de maio de 1966, por um grupo de 27 pessoas do Movimento da Juventude Católica de Jaraguá do Sul, incluindo os Padres Elemar Scheidt e Odílio Erhard. Seu primeiro presidente foi Loreno Antônio Marcatto.

O Juventus foi fundado no dia 1º de maio de 1966, por um grupo de 27 pessoas do Movimento da Juventude Católica de Jaraguá do Sul, incluindo os Padres Elemar Scheidt e Odílio Erhardt, tendo como seu primeiro presidente o Sr. Loreno Antônio Marcatto. Inicialmente, as cores do clube seriam vermelho, branco e preto, conforme o estatuto. Porém, o bordô foi adotado posteriormente, durante a disputa do Campeonato Catarinense de 1976, em homenagem ao clube homônimo existente em São Paulo.

Heinz e e Betha Gertrudes Ilse Kohlbach

Heinz foi fundador da Kohlbach Motores, um das responsáveis pelo fortalecimento industrial de Jaraguá do Sul

A Kohlbach foi fundada no início da década de 40, por Heinz. O jovem empresário dava início a fabricação quase artesanal de dínamos, usados em carros e caminhões, na geração de corrente contínua para manter a parte elétrica dos veículos. Ele trabalhava na oficina A Eletrônica, montada pelo seu pai, Rodolfo, em Jaraguá do Sul.

Além dos dínamos, a empresa também era a única que consertava rádios na cidade. Aos poucos, Heinz ajudado por sua mulher Ilse foi juntando dinheiro para comprar aparelhos usados, que eram revendidos, e os recursos aplicados na compra de peças para montar rádios novos.

Com a venda dos rádios, o casal ampliou A Eletrônica, transformando-a numa loja de eletrodomésticos. Em 1955, o mercado começava a exigir geradores de energia. Começaram a fabricar geradores, até evoluir para motores.

Tinha uma das maiores coleções de rádio do Brasil, que incluia um exemplar que pertenceu a Adolf Hitler. Faleceu aos 77 anos, em fevereiro de 1998.

Erwino e Maria Kanzler Menegotti

1940---casal-sr.-erwino-e-sra.-maria

O casal formado pela Sra. Maria Kanzler Menegotti e o Sr. Erwino Menegotti abraçou o sonho da criação de seu próprio negócio. Em uma época na qual as atividades eram predominantemente voltadas para o campo, com apenas quatro funcionários a Menegotti produzia machados, enxadas, foices e fazia conserto de carroças.

Em apenas dez anos, a ferraria Erwino Menegotti já havia triplicado suas instalações e diversificado sua produção. Atenta às necessidades da cidade, a Menegotti passou também a produzir implementos agrícolas, roçadeiras, secadores e resfriadores de arroz, sendo, já naquela época, reconhecida pela qualidade de seus produtos sob a marca “Aço Prata”.

Em 1963, o seu primeiro forno de fundição entrou em atividade, possibilitando a fabricação de outros produtos como turbinas hidráulicas e a prensa para a fabricação de tubos de concreto.

Urbano e Alminda Franzner

Sr e Sra Urbano_resize

A Urbano Agroindustrial, fabricante do Arroz Urbano, nasceu pelo seu empreendedorismo. Proprietário rural, sempre olhou além de suas terras. Foi em 1952 que o sonho de Franzner começou a se concretizar.

Em uma Jaraguá do Sul que ainda não contava com energia elétrica em escala industrial, ele cavou um canal para desviar parte da água do Rio Jaraguá e gerar energia através de uma roda d’água. A produção de fubá de milho e arroz pilado foi facilitada com a inovação. Em 1960, Urbano Franzner constituiu a Cerealista Urbano e começou a se dedicar exclusivamente ao beneficiamento de arroz, dando início a uma grande receita de sucesso. Sua esposa, Alminda Pradi Franzner, trabalhou lado a lado com o marido, auxiliando-o e apoiando todo o percurso de criação e consolidação da empresa, hoje administrada pelos filhos.

Wolfgang Weege/Wander Weege

wander

trajetória do Grupo Malwee iniciou muitos anos antes de sua fundação em 04 de Julho de 1968. Tudo começou com as atividades industriais e comerciais da então conhecida Firma Weege, fundada por Wilhelm e Bertha Weege em 1906, em Jaraguá do Sul – SC. No início tinha como principal atividade o comércio, queijaria e açougue. Em 1948, passou a ser Sociedade Anônima sob a direção do filho, Sr. Wolfgang Weege. Este foi um período de modificações, em que a empresa ampliou e adquiriu um frigorífico e laticínios. O Sr. Wolfgang Weege construiu um posto de gasolina com loja de conveniência em 1950, uma inovação para a época. Na década seguinte, o comércio foi modernizado e transformado em uma superloja de departamentos. O frigorífico foi fechado e no local, a ideia de ocupar o espaço com uma nova indústria surgiu após muitas pesquisas e visitas, optando-se então por implantar uma empresa têxtil. Alguns prédios foram reformados e adaptados para o início da nova atividade industrial.

Wolfgang é responsável pela idealização e realização do Parque Malwee, dos museus presentes no parque e foi grande incentivador da arte e da cultura. Seu filho Wander Weege deu prosseguimento ao espírito do mecenato incentivando as artes e também

Arthur e Walter Breithaupt

breithaupt

Fundaram a rede de lojas e supermercados (hoje vendido ao grupo Cooper). A rede surgiu em 1926, quando os irmãos Walter e Arthur Breithaupt abriram comércio de vendas de produtos coloniais, em uma área de 35 metros quadrados. Os negócios cresceram e virou um empreendimento totalmente familiar, com lojas em São Bento do Sul, Mafra, Joinville, Guaramirim, Brusque, Canoinhas, Itajaí e Jaraguá do Sul.

Eggon João da Silva, Werner Voigt e Geraldo Werninghaus

Foto: Divulgação WEG

Foto: Divulgação WEG

O caminho de sucesso empresarial de Werner Ricardo Voigt, Eggon João da Silva e Geraldo Werninghaus começou em16 de setembro de 1961, quando os três fundaram a Eletromotores Jaraguá. Anos mais tarde, a empresa criada por um eletricista, um administrador e um mecânico viria a ganhar uma nova razão social, a Eletromotores WEG SA. O nome é a feliz junção das iniciais dos três fundadores.

A trajetória da empresa ao longo destes anos é marcada pelo êxito. Uma das maiores fabricantes de equipamentos elétricos do mundo, a WEG atua nas áreas de comando e proteção, variação de velocidade, automação de processos industriais, geração e distribuição de energia e tintas e vernizes industriais.

Produzindo inicialmente motores elétricos, a WEG começou a ampliar suas atividades a partir da década de 80, com a produção de componentes eletroeletrônicos, produtos para automação industrial, transformadores de força e distribuição, tintas líquidas e em pó e vernizes eletroisolantes. Cada vez mais a empresa está se consolidando não só como fabricante de motores, mas como fornecedor de sistemas elétricos industriais completos.

Pedro Donini

marisol

A Marisol foi fundada em Jaraguá do Sul (SC), no dia 22 de maio de 1964, pelo empreendedor Pedro Donini. Nos últimos 40 anos, a pequena fábrica de chapéus de praia, que teve seu nome inspirado nas palavras mar e sol, tornou-se uma renomada indústria do vestuário do Brasil.

Rudolph e Hildegard Huffenusler

duas rodas

Fundaram a Duas Rodas Industrial (antiga Indústrias Reunidas Jaraguá), a primeira fábrica de óleos e essências do Brasil, líder de mercado em todos os segmentos em que atua.

Foi fundada em Jaraguá do Sul (SC) por Rudolph e Hildegard,  um casal de imigrantes alemães que chegou ao país após a Primeira Guerra Mundial.

Rudolph Hufenüssler, químico-farmacêutico, e a mulher, Hildegard, formada em física, já vieram para cá com o objetivo de fabricar extratos e essências naturais.

Adélia Fischer 

Historia

A pianista Adélia Fischer e seu marido Francisco fundaram em 8 de junho de 1956 a SCAR – Sociedade Cultura Artística, inicialmente para abrigar uma pequena orquestra mantida com amigos músicos que se encontravam em saraus e recitais nas tardes de domingo. Passados três meses, os membros eleitos das primeira diretoria assinavam os estatutos: Fernando Springmann, Aleixo Dellagiustina, João Budal da Silva, Francisco Fernando Fischer, Romeu Bastos, Joaquim Piazera, Emilio da Silva

Deixe seu comentário